Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Cloudy

Geral Como um tsunami mortal golpeou a costa da Indonésia sem que tivesse havido um terremoto antes?

Compartilhe esta notícia:

O vulcão Anak Krakatoa fica no meio do oceano, a noroeste da ilha de Java. (Foto: Reprodução)

O vulcanólogo Jess Phoenix disse que quando os vulcões entram em erupção, o magma quente cria um impulso embaixo da terra. Pode mover e quebrar rochas mais frias, o que em algumas ocasiões gera grandes deslizamentos. Como o vulcão Anak Krakatoa está parcialmente debaixo da água, em vez de só causar um deslizamento superficial, “gerou-se um deslizamento de terra submarino”.

O fenômeno “empurra” a água a medida que se desenvolve – com potencial de gerar um tsunami. Como todo tsunami, é uma questão de minutos ou horas para que as ondas cheguem às costas. Além disso, a maré alta da lua cheia de agora provavelmente contribuiu, sim, para a força das ondas. Nos últimos meses, a atividade do vulcão Anak Krakatoa havia crescido.

A agência geológica indonésia disse que o vulcão entrou em erupção durante dois minutos e 12 segundos, criando uma nuvem de cinzas que se elevou 400 metros sobre a montanha. No sábado, houve mais atividade, como pode constatar o fotógrafo norueguês Oystein Lund Andersen. O fotógrafo estava no noroeste da ilha de Java, na Indonésia. Ele contou que sem que tivesse havido um tremor, as costas das ilhas foram golpeadas por duas ondas.

“De repente vi essa onda vir e tive que correr. Havia duas ondas. A primeira não foi tão forte, pude fugir dela”, explicou. A segunda foi devastadora: causou a morte de dezenas de pessoas e centenas de feridos, além de ter deixado centenas de casas e edifícios destruídos.

Não houve terremoto, o que normalmente dá as autoridades tempo para transmitir um alerta de tsunami. Só o vulcão Anak Krakatoa tinha registrado explosões durante a sexta e o sábado. E como explica Andersen, “justo antes das ondas golpearem a praia, não havia nenhuma atividade (vulcânica)”. O golpe da onda se deu às 21h30min locais (14:30 GMT).

A agência geológica da Indonésia continua investigando as causas, afirmou o porta-voz da agência de gestão de desastres do país, Sutopo Purwo Nugroho.

Endan Permana, diretor da Agência de Mitigação de Desastres Nacionais na região de Pandeglang, disse a um canal de TV que a polícia estava prestando assistência imediata às vítimas e que algumas áreas atingidas são populares entre turistas. “Muitas pessoas estão desaparecidas”, disse.

 

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Um tsunami com ondas gigantes atingiu a Indonésia e deixou mais de 200 mortos e 800 feridos
A Câmara dos Deputados deverá gastar 19 milhões e 500 mil reais com novos cargos em 2019
Deixe seu comentário
Pode te interessar