Segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Capa – Caderno 1 Criador do Android usa a inteligência artificial para desenvolver um celular que imita o comportamento do próprio dono em respostas automáticas

O Essential Phone, lançado no ano passado, falhou em conquistar consumidores. (Foto: Reprodução)

E se seu celular imitasse seu comportamento e respondesse mensagens em seu nome? A startup de eletrônicos de consumo Essential Products, fundada e comandada por Andy Rubin, o criador do Android, está desenvolvendo um novo smartphone que usa inteligência artificial para fazer justamente isso.

De acordo com Bloomberg, o novo aparelho está sendo desenvolvido para transformar a relação dos usuários com seus dispositivos. A agência diz que ele terá uma tela pequena, será controlado por comandos de voz e dotado de inteligência artificial para que o celular comporte como se fosse o próprio usuário, respondendo a e-mails ou então agendando compromissos.

O aparelho é a mais nova aposta da startup depois que o primeiro hardware da empresa lançado no ano passado, chamado de Essential Phone, falhou em conquistar consumidores.

O criador do Android, Andy Rubin, já tinha dado sinais sobre seus planos para os próximos celulares. Em uma entrevista à Bloomberg, no ano passado, ele disse que seu celular dos sonhos é uma “versão virtual de si mesmo”, que permitiria que o usuário esquecesse de usar o celular diariamente. “Você pode estar offline aproveitando a vida, jantando, sem acessar o celular, você confia no aparelho para fazer as coisas para você”.

Desafios

Embora inovadora, a ideia deve enfrentar muitos desafios. Usuários assíduos de assistentes virtuais conhecidos no mercado – como a Siri, da Apple, e a Alexa, da Amazon – costumam reclamar das limitações da tecnologia. Pensando nisso, é possível que a Essential comercialize a tecnologia como um complemento para os smartphones disponíveis hoje ou venda como um telefone para aqueles que querem ficar menos tempo conectados.

Inteligência artificial

Outras empresas estão apostando nessa tecnologia. O Google apresentou em maio o seu serviço Duplex, que permite que o assistente virtual do Google se comporte praticamente como um humano e agende consultas médicas, faça reservas em restaurantes ou marque um horário no salão de beleza.

O Duplex estará disponível no Pixel 3, o mais novo celular do Google, a partir de novembro. O novo Pixel também usa a inteligência artificial para filtrar ligações não desejadas: o aparelho poderá, por exemplo, pedir a quem liga que especifique o motivo de sua chamada, mostrando a transcrição do texto na tela do aparelho antes mesmo do usuário precisar atender à chamada.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

“O PT errou por não reconhecer a prática de corrupção”, disse senador petista derrotado
Dos 251 deputados federais que foram reeleitos este ano, menos da metade foi totalmente favorável às reformas econômicas aprovadas pelo governo federal
Deixe seu comentário
Pode te interessar