Terça-feira, 26 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Mostly Cloudy

Futebol Cristiano Ronaldo pode chegar aos mil jogos na carreira neste domingo

Compartilhe esta notícia:

CR7 vai entrar para uma seleta lista de lendas. (Foto: Reprodução)

Cristiano Ronaldo pode realizar jogo de número 1.000 em sua carreira, neste domingo (10), contra o Milan. Na última partida da Juventus, o atacante saiu machucado e é dúvida para o confronto contra os Rossoneri. CR7 vai entrar para uma seleta lista de lendas. As informações são do site Lance!

Apenas 23 jogadores na história conseguiram chegar a marca de 1.000 jogos disputados na carreira. A lista inclui grandes jogadores como Iker Casillas (1.120, na 5ª posição), assim como Peter Shilton (1.390) e Rogerio Ceni (1.294).

Das 999 partidas da carreira de CR7, o Real Madrid se isola como o clube em que o português mais atuou, com 438 partidas, ao todo, com 450 gols marcados. O Manchester United, com 292 jogos, vem logo depois. O Sporting foi a equipe que menos defendeu, com 30 partidas.

A Juventus lidera o Campeonato Italiano com 29 pontos, enquanto o Milan ocupa a incômoda 11ª posição, com 13 pontos. O grande rival dos Rossoneri, a Internazionale disputa ponto a ponta com os Bianconeri a primeira posição, tendo em vista que a equipe de Antonio Conte tem 28 pontos.

Jogador completo

No final do mês passado, Cristiano Ronaldo concedeu uma longa entrevista à revista ‘France Football’ onde falou de talento, rotina de trabalho, evolução de jogo e importância das partidas. O português pontuou que, se pudesse, jogaria apenas os jogos com a seleção portuguesa e da Liga dos Campeões, além de ressaltar que acredita ser “um jogador completo” e sem “nenhum ponto fraco”.

Aos 19 e 20, entendi que o futebol são números, títulos, recordes e não apenas o desempenho dento do campo. Se quer ganhar alguma coisa, tem que fazer gols. (…) No início, driblava, dava espetáculo com o meu trabalho de pés, mas percebi que não era suficiente. Tinha de fazer gols e tive a sorte em Manchester de ter grandes jogadores à minha volta que me fizeram entender e me ajudaram a melhorar (Giggs, Scholes, Van Nistelrooy, Rio Ferdinand). Alex Ferguson também me ensinou muito e percebi que tinha potencial para marcar, não apenas para driblar e dar assistências. Acho que sou um jogador completo, sem um verdadeiro ponto fraco. Posso marcar com o pé direito, com o esquerdo, de cabeça … sou forte, rápido”, disse o jogador.

Se dependesse de mim, jogaria apenas os jogos importantes. Os da Seleção e da Liga dos Campeões. São esses tipos de jogos que motivam, os que tem algo em jogo, com um ambiente difícil, pressão. Depois, deve ser profissional e estar em forma todos os dias para honrar sua família e o clube que te representa e paga. Tem que dar o melhor todos os dias.”

Sobre a rotina fora de campo, o craque afirmou: “Todos envelhecemos. Você pode ser saudável por um longo tempo, mas o corpo sofre uma erosão natural contra a qual não podemos fazer nada. Dizem que tenho o corpo de um atleta, mas não é apenas pelo físico ou pelos treinos. Há o estilo de vida, a nutrição, o sono, a escolha dos exercícios que faço. Cerca de 70% da minha vida é dedicada ao futebol. Há que ser inteligente para durar. Chamo isso de educação de um jogador de futebol”.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Futebol

Em Fortaleza, o Inter realizou o primeiro treino antes de enfrentar o Fluminense
Arrascaeta fica fora da convocação do Uruguai para amistosos antes da final da Libertadores
Deixe seu comentário
Pode te interessar