Quinta-feira, 04 de Junho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

Mundo Em recado a Donald Trump, Barack Obama criticou a “política de valentões”

Compartilhe esta notícia:

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama alertou para o crescimento de uma “política de valentões” pelo mundo. (Foto: Reprodução)

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama alertou, em discurso nesta terça-feira (17), para o crescimento de uma “política de valentões” pelo mundo. “A política de valentões ascendeu, de repente. As eleições e democracias dissimuladas são mantidas nas suas formas, mas aqueles que estão no poder desmantelam as instituições ou normas que dão significado à democracia”, disse.

A política do medo, do ressentimento e dos cortes dos gastos começou a aparecer. E esse tipo de política vem crescendo. Cresce em um ritmo que teria sido inimaginável há apenas poucos anos”, afirmou Obama.

Parte da imprensa norte-americana interpretou a mensagem como uma indireta ao governo de Donald Trump. O atual presidente dos Estados Unidos se encontrou na segunda-feira (16) com o presidente da Rússia, Vladimir Putin. No entanto, em nenhum momento Obama se referiu ao seu sucessor explicitamente.

Porém, em uma crítica mais contundente, Obama falou sobre o controle de fronteiras, sobre o qual Trump adota uma política mais dura do que o antecessor:

Não é errado insistir que as fronteiras nacionais importam (…), mas isso não pode ser uma desculpa para as políticas de imigração baseadas na raça”, disse ele.

Obama está em Johanesburgo, maior cidade da África do Sul, para as homenagens dos 100 anos de Nelson Mandela, ex-presidente sul-africano morto em 2013.

Depois de passar 27 anos nas prisões do regime racista branco, Mandela tornou-se em 1994 o primeiro presidente eleito democraticamente na África do Sul, um cargo que ocupou até 1999.

Mandela e Obama se viram uma única vez, em 2005, em Washington, mas se admiravam mutuamente, afirmou a agência France Presse.

Obama atacou os políticos que “só mentem”. “Os políticos parecem rejeitar o conceito de verdade objetiva, as pessoas inventam”, disse ele, provocando gargalhadas.

“Devemos acreditar nos fatos”, insistiu, enquanto o seu sucessor denuncia diariamente as “fake news”. “Negar fatos pode minar a democracia.”

Não consigo encontrar um terreno comum com alguém que diz que a mudança climática não existe, quando todos os cientistas dizem o contrário”, continuou Barack Obama.

Uma das primeiras atitudes de Donald Trump na Casa Branca foi retirar os Estados Unidos do acordo climático de Paris, dizendo ser “injusto” para a indústria em seu país.

Aparição

A fala, considerada a mais importante aparição pública do americano desde que ele deixou a Presidência dos EUA no início de 2017, foi feita para 14 mil pessoas no estádio Wanderers, em Joanesburgo. O presidente recebeu gritos de aplausos durante todo o discurso de uma plateia que incluiu a viúva de Mandela, Graça Machel, a ex-presidente da Libéria e vencedora do Nobel da Paz Ellen Johnson Sirleaf, o ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan, e o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.

A cada ano a Fundação Mandela convida uma pessoa de prestígio para discursar no aniversário de “Madiba”, que nasceu em 18 de julho de 1918 e faleceu em 5 de dezembro de 2013.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

O atraso da Anvisa em regular a maconha frustra as empresas farmacêuticas
O caos no aeroporto de Lisboa deixará Portugal com 1 milhão de turistas a menos por ano
Deixe seu comentário
Pode te interessar