Quarta-feira, 28 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Cloudy

Bem-Estar Especialistas alertam que o coronavírus pode gerar diabetes “violento e grave” em pacientes sem histórico

Compartilhe esta notícia:

Uma das razões pelas quais eles viram esses novos casos se deve ao estresse gerado pela doença

Foto: EBC
Uma das razões pelas quais eles viram esses novos casos se deve ao estresse gerado pela doença. (Foto: EBC)

Embora o motivo ainda não esteja totalmente claro, os especialistas afirmam que o vírus pode gerar casos de diabetes muito forte em pessoas saudáveis ​​e, eventualmente, permanecer em perpetuidade. Eles até mencionam que poderia ser “uma nova forma da doença.

Segundo dados oficiais da OMS (Organização Mundial da Saúde), nos seis meses desde o início da pandemia de coronavírus, o diabetes, uma doença que atinge 420 milhões de pessoas em todo o mundo, tornou-se um importante fator de risco para casos graves de infecção.

Mas o diabetes pode ter uma ligação mais próxima com o patógeno. Porque, de acordo com uma carta publicada no New England Journal of Medicine por uma equipe internacional de pesquisadores na área, a Covid-19 também foi associado à geração de novos casos do vírus.

Aqueles que já têm diabetes também tiveram “sérias complicações metabólicas”, incluindo problemas causados ​​por níveis perigosamente altos de açúcar no sangue nos diabéticos tipo 1 e 2.

Segundo os autores, 17 médicos que realizam seu trabalho nos principais centros médicos do mundo, uma das razões pelas quais eles viram esses novos casos se deve ao estresse gerado pela doença, bem como à maneira como o corpo processa a doença.

Conforme o texto, a causa ainda não está clara, mas suspeita-se que esteja relacionada a uma proteína específica SARS-CoV-2, a enzima conversora de angiotensina 2 (ACE2), presente no revestimento dos pulmões, que também é encontrado em outras partes do corpo humano.

Eles também afirmam que o receptor usado pelo vírus é encontrado em órgãos que desempenham um papel fundamental no metabolismo, como pâncreas, tecido adiposo, intestino delgado e rins. Na carta, os médicos alertam a população a tomar precauções adicionais e evitar a exposição o máximo possível.

No entanto, os resultados de pesquisas em andamento sugerem que mesmo pessoas saudáveis ​​podem desenvolver doenças que afetam os órgãos acima mencionados. Por esse motivo, os pesquisadores criaram um registro global chamado CoviDiab Registry Project, com o objetivo de registrar novos casos em que pacientes saudáveis ​​desenvolvem diabetes após a infecção por Covid-19.

“Estamos tentando entender o que está por trás das observações”, diz o co-diretor do registro e professor de cirurgia metabólica do King’s College de Londres, Francesco Rubino. “Já existem evidências conclusivas de que as infecções por Covid-19 podem deteriorar a condição de pessoas com diabetes pré-existente”.

Os registros também mostram que cerca de um quarto das mortes relacionadas ao coronavírus são pessoas com diabetes. “É uma das doenças crônicas mais frequentes e agora estamos percebendo as consequências do inevitável choque entre duas pandemias”, disse Rubino.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Bem-Estar

Índia registra mais de 2.000 mortes por coronavírus em um dia
Peru ultrapassa a marca dos 7.000 mortos por coronavírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar