Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Fair

Mundo Os Estados Unidos expulsaram em segredo dois diplomatas chineses por suspeita de espionagem

Compartilhe esta notícia:

Esta seria a primeira expulsão do tipo em 30 anos

Foto: Divulgação
Esta seria a primeira expulsão do tipo em 30 anos. (Foto: Divulgação)

Os Estados Unidos expulsaram secretamente dois funcionários da embaixada da China em setembro, depois que eles tentaram entrar em uma base militar na Virgínia, informou o jornal americano New York Times neste domingo (15). Acredita-se que pelo menos um dos diplomatas era um oficial da inteligência que atuava no país disfarçado, segundo o Times.

O jornal, que citou pessoas com conhecimento do episódio, afirmou que os funcionários da embaixada chinesa, acompanhados de suas esposas, se dirigiram até o posto de controle da entrada de uma instalação militar perto de Norfolk, Virgínia, que inclui forças de operações especiais.

Um guarda viu que eles não tinham permissão para entrar e mandou que fossem embora. Mas os chineses continuaram em direção à base, fugindo dos militares que os perseguiram até serem obrigados a parar por caminhões de bombeiros que bloquearam seu caminho.

Os diplomatas alegaram que não haviam entendido as instruções do guarda e que estavam perdidos. Semanas após o incidente, o Departamento de Estado impôs restrições às atividades dos diplomatas chineses. O jornal disse que esta seria a primeira vez em mais de 30 anos que Washington expulsou diplomatas chineses por suspeita de espionagem.

A relação entre chineses e americanos vem estremecida desde o início da guerra comercial entre os dois países. Mas os países estão caminhando para uma trégua. Na sexta-feira (13), China e Estados Unidos concordaram sobre a primeira fase de negociações comerciais entre os dois. Com isso, os países vão suspender a aplicação de novas tarifas sobre importações que deveriam entrar em vigor neste domingo.

O acordo terá de passar por “procedimentos legais” em ambos os países antes de ser assinado. A expectativa dos governos é que ele seja firmado já na primeira semana de janeiro.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Governo argentino diz que março é o prazo limite para renegociar dívida
Bomba da Segunda Guerra Mundial provoca evacuação histórica na Itália
Deixe seu comentário
Pode te interessar