Sábado, 28 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Fair

Educação Estudantes podem se inscrever no Sisu a partir desta terça-feira. Prazo foi prorrogado até domingo

Weintraub e o presidente do Inep, Alexandre Lopes, em vídeo nas redes sociais.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Ministro (foto) determinou nova análise da prova do Enem de uma candidata após receber reclamação do pai dela (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O Sisu (Sistema de Seleção Unificada) abre nesta terça-feira (21) o calendário dos processos seletivos federais que usam o Enem como critério de seleção. Neste semestre, o Sisu vai ofertar 237 mil vagas em 128 instituições de ensino superior públicas. O prazo para se inscrever, que iria até sexta-feira (24), foi prorrogado até as 23h59min de domingo (26).

Como há o uso da nota do Enem, o MEC (Ministério da Educação) resolveu dar mais tempo para solucionar todos os problemas com as correções das provas.

“O Sisu vai estar aberto no prazo que era previsto. Faça sua inscrição e, para quem tiver problema, estamos estendendo em mais dois dias”, reforçou o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

O ministro afirmou que as inconsistências ocorreram em menos de 6 mil provas dentro das mais de 5 milhões de inscrições feitas para a prova. Segundo o ministro, os problemas foram concentrados em quatro cidades: Alagoinhas, na Bahia, e Ituiutaba, Iturama e Viçosa, em Minas Gerais, no segundo dia de exame.

Para participar do Sisu, é preciso ter feito o Enem 2019 e ter tirado nota acima de zero na prova de redação. Na hora da inscrição no processo seletivo é preciso informar o número de inscrição do Enem e a senha atual cadastrada na Página do Participante.

A nota do Enem está disponível desde sexta-feira (17). Os resultados serão divulgados no dia 28 de janeiro. As outras datas são: matrícula ou registro acadêmico nas instituições participantes: até 4 de fevereiro; lançamento da ocupação nas vagas pelas instituições participantes: até 7 de fevereiro; manifestação de interesse para constar na lista de espera: até as 23h59 de 4 de fevereiro.

Inconsistência em correção do Enem

No sábado (18), o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), autarquia responsável pela aplicação do Enem, informou que foram encontrados casos de inconsistências na correção de algumas provas do exame.

A equipe técnica do instituto identificou que se tratava de inconsistência na transmissão de dados que a gráfica envia ao Inep para processamento das notas. A ocorrência gera contradições na associação entre o participante e a cor de sua prova, o que causa impacto na média de proficiência.

Por este motivo, estudantes puderam pedir a revisão de suas notas até as 10h desta segunda-feira (20).

Cálculo da nota

Na hora da inscrição, é possível escolher até duas opções de curso, de acordo com a ordem de preferência.

Alguns cursos, no entanto, têm certas restrições. O Sisu dá liberdade para as instituições de ensino definirem como usarão o Enem. Assim, determinado curso pode exigir, por exemplo, uma média mínima no Enem – que é a soma de todas as notas obtidas nas provas do exame, dividida por cinco – ou mesmo uma nota mínima em determinada prova. Isso faz com que, dependendo da nota obtida, estudantes não sejam classificados para determinados cursos.

É possível também conferir pesos diferenciados para as provas. A nota em ciências da natureza ou em matemática pode valer mais para um curso de física ou química, por exemplo. Dessa forma, a nota do estudante pode variar dependendo do curso para o qual ele está concorrendo.

Nota de corte

Uma vez por dia, o MEC (Ministério da Educação) divulga na página do Sisu as notas de corte, que são as menores para os candidatos ficarem entre os selecionados na modalidade escolhida. A nota de corte é calculada com base no número de vagas e no total de candidatos inscritos.

A nota de corte é apenas uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento de sua inscrição. Ela não garante que o estudante seja selecionado.

É possível alterar as opções de curso feitas até o final do período de inscrição. O Sisu considera válida a última opção registrada pelos estudantes.

Reservas de vagas

Todas as universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e centros federais de educação tecnológica participantes do Sisu oferecem vagas reservadas para estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas. Há instituições participantes do Sisu que disponibilizam ainda uma parte de suas vagas para políticas afirmativas próprias.

Próximos processos seletivos

Além de participar do Sisu, os estudantes podem usar as notas do Enem para concorrer a bolsas de estudo pelo ProUni (Programa Universidade para Todos). As inscrições poderão ser feitas de 28 a 31 de janeiro. Podem também se inscrever no Fies (Programa de Financiamento Estudantil), de 5 a 12 de fevereiro.

Os estudantes podem ainda usar as notas para cursar o ensino superior em Portugal. O Inep tem convênio com mais de 40 instituições portuguesas.

Instituições de ensino públicas e privadas utilizam o Enem como forma de seleção independente dos programas de âmbito nacional. Os estudantes podem, portanto, consultar diretamente as instituições nas quais têm interesse em estudar.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Educação

Sine Municipal realizou mais de 47 mil encaminhamentos para vagas de emprego em 2019
Joaquin Phoenix ganha o prêmio SAG Awards pela sua atuação no filme “Coringa”
Deixe seu comentário
Pode te interessar