Quarta-feira, 03 de Junho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Fair

Notícias Governador de Minas Gerais é suspeito de corrupção e lavagem de dinheiro

Compartilhe esta notícia:

A exemplo do que acontece com o governo federal, o PMDB se queixa de que Pimentel não dialoga com os aliados e não dá espaço para o partido atuar (Foto: Elza Fiúza/Abr)

A PF (Polícia Federal) pediu ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) o indiciamento do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), mas a PGR (Procuradoria-Geral da República) deu um parecer contrário à solicitação. O chefe do Executivo mineiro é um dos principais alvos da Operação Acrônimo, que apura vestígios de ilegalidades na campanha do petista ao Palácio da Liberdade, em 2014.

A mesma investigação mira em suspeitas de compra de medidas provisórias e de favorecimento a empresas com empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), no período em que Pimentel comandava o Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, pasta à qual o banco de fomento é vinculado.

Conforme apuração do jornal Folha de S.Paulo, na avaliação da PF, o governador pode ser indiciado sob suspeita dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko posicionou-se contra a requisição da PF, argumentando que não cabe à corporação indiciar “autoridades com prerrogativa de função” no STJ. “Ademais, [a Legislação] não prevê que o Ministério Público Federal autorize a realização desse tipo de procedimento inquisitorial”, sustentou no despacho.

Tanto o pleito da PF quanto a manifestação da Procuradoria estão no gabinete do ministro do STJ Herman Benjamin, relator da Acrônimo na Corte. Na volta do recesso do Judiciário, o magistrado baterá o martelo a respeito do impasse. (Folhapress)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Advogado de defesa confirma que Marcos Valério quer fazer delação premiada
Condenado na França, professor da Universidade do Rio de Janeiro nega ligação com terrorismo
Deixe seu comentário
Pode te interessar