Terça-feira, 03 de agosto de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
Fog

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Educação Governo federal exonera secretário de Regulação e Supervisão do Ensino Superior do Ministério da Educação

Compartilhe esta notícia:

Ricardo Braga, ex-secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC

Foto: Luís Fortes/MEC
Ricardo Braga, ex-secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC. (Foto: Luís Fortes/MEC)

O governo federal exonerou o Secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC (Ministério da Educação), Ricardo Braga. A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (29) e foi assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto.

Não foi publicado ainda no DOU o nome do substituto do ex-secretário. Também não foi informada na publicação no Diário Oficial o motivo da exoneração.

Ricardo Braga havia sido nomeado secretário Especial de Cultura em setembro de 2019, cargo do qual foi exonerado em novembro para assumir o posto no MEC.
Economista, Ricardo Braga tem carreira construída no setor financeiro, em gestão de pessoas e em fusões e aquisições de empresas. Ele já trabalhou no Banco Votorantim e na multinacional Andbank Brasil S.A.

Braga também tem experiência na gestão de operações e investimentos com Certificação de Gestor e Administrador de Investimentos da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Em 10 de janeiro, o presidente Jair Bolsonaro anunciou o professor e pastor Milton Ribeiro como novo ministro da Educação. Com graduação em Teologia e Direito, mestre em direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e doutor em educação pela Universidade de São Paulo, Ribeiro tomou posse em 16 de julho.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Educação

Caixa Econômica Federal paga auxílio emergencial a 5,8 milhões de brasileiros nesta quarta-feira
Ministra Rosa Weber diz que juízes de primeira instância podem autorizar buscas na Câmara dos Deputados e no Senado
Deixe seu comentário
Pode te interessar