Sábado, 18 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fog

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Saúde Gripe ou covid? Médicos de países com surto da variante Delta explicam por que sintomas se confundem e como agir caso apareçam

Compartilhe esta notícia:

Com sintomas gripais, variante Delta traz dificuldades para o diagnóstico de covid-19 (Foto: Reprodução)

A variante Delta do coronavírus é um dos principais aceleradores da pandemia no mundo no momento, inclusive nos países onde a vacinação está avançada. Isso acontece, entre outros motivos, porque os indivíduos costumam confundir os sintomas da delta com os da gripe.

Especialistas de países com surto da variante Delta explicam por que é tão difícil distinguir os sintomas da doença.

“Você não consegue diferenciar a variante delta de uma gripe”, explica David Straim, consultor do sistema de saúde britânico (NHS) e pesquisador da faculdade de medicina da Universidade de Exeter, no Reino Unido.

A variante Delta do coronavírus já foi detectada em pelo menos 124 países, segundo o mais recente boletim epidemiológico da Organização Mundial da Saúde (OMS).

No Brasil, ela foi identificada no final do mês de maio e já provocou ao menos cinco mortes. De acordo com o Ministério da Saúde, até o dia 20 deste mês a pasta já havia identificado e notificado 110 casos de delta no País.

1) É possível distinguir uma gripe de infecção pela variante delta apenas pelos sintomas?

Não. De acordo com Rajib Dasgupta, chefe do centro de medicina social da Universidade Jawaharlal Nehru, em Nova Delhi, não é possível distinguir a delta das demais variantes da Covid (alfa, beta e gama) ou mesmo de uma gripe comum apenas pelos sintomas.

“A delta não tem sintomas distintos e poderia ser relacionada a qualquer outra variante da covid porque todas as infecções causadas pela covid começam como uma doença viral leve”, explica Dasgupta.

2) Quais sintomas são comuns tanto em casos de gripe como de infecção pela variante delta do coronavírus?

David Straim explica que tanto a gripe quanto a fase inicial de infecção pela variante Delta podem estar associadas aos seguintes sintomas: dor de cabeça, mal estar, coriza, dor de garganta e febre.

3) Os sintomas da Delta se manifestam da mesma forma em todas as faixas etárias?

Não. Segundo especialistas, alguns dos sintomas que se tornaram característicos da covid-19 não são tão frequentes na variante Delta, principalmente entre a população mais jovem, como crianças, adolescentes e jovens adultos.

4) Como saber se estou contaminado pela delta ou com gripe?

De acordo com os especialistas, a única maneira de ter a confirmação do diagnóstico é por meio de um teste PCR, que tem por objetivo identificar o material genético do vírus no corpo humano.

“A única maneira de sabermos com certeza se você tem covid ou não é fazendo um teste PCR”, afirma Straim.

Para a realização desse exame, um profissional coleta material da garganta e do nariz do paciente através de um swab – instrumento parecido com um cotonete – que, em seguida, é encaminhado a um laboratório de análises.

5) O que devo fazer caso sinta algum dos sintomas?

“Se você apresentar algum dos sintomas, deve fazer um teste de covid. Se o resultado for positivo, você deve, obviamente, manter o isolamento social e informar todas as pessoas com quem manteve contato na última semana do seu diagnóstico para que elas fiquem em alerta”, explica Straim.

Ainda segundo Straim, é possível que nem todas as pessoas com os sintomas listados estejam contaminadas com a Delta, ainda mais considerando que no inverno muitos desses sintomas não comuns. Entretanto, é necessário realizar a testagem para controlar a disseminação da variante, que possui um potencial de contaminação muito maior ao das demais cepas e tem potencial para provocar uma nova crise.

Caso o indivíduo realize o teste e dê negativo, ele pode continuar com seus hábitos normalmente — desde que respeitando as recomendações sanitárias para impedir a disseminação o vírus.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Mais da metade dos pacientes de coronavírus ainda apresenta fadiga, falta de ar e fraqueza quase um ano depois de alta médica
Remédio usado em cachorros é a aposta de pesquisadores para tratar casos de covid
Deixe seu comentário
Pode te interessar