Quarta-feira, 08 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Light Drizzle

Brasil Latam diz que vai cobrar a partir de R$ 50 por mala despachada em voo nacional

Compartilhe esta notícia:

Segundo a empresa, as alterações serão feitas de forma gradual. (Foto: Reprodução)

Depois da Gol, a Latam confirmou que passará a cobrar pelo despacho de malas em seus voos nacionais. Para voos na América do Sul, a cobrança só será feita pela segunda bagagem despachada. Em outros voos internacionais, o despacho será gratuito em até duas malas com o limite de 23 quilos cada.

Segundo a Latam, a mudança pode reduzir o valor da passagem em até 20% até 2020, uma vez que o passageiro poderá pagar apenas pelo que necessitar. “Nesse sentido, alguns serviços que sempre foram cobrados de todos os passageiros passarão a ser opcionais”, diz a empresa em comunicado.

A cobrança varia de acordo com o peso da bagagem e destino. No caso dos voos domésticos, o valor pode chegar a R$ 200, dependendo do peso da mala. Na América do Sul, o excesso de peso (entre 34 e 45 quilos) será taxado em US$ 180, e em outros voos fora do País, em US$ 200.

Segundo a Latam, os passageiros dos voos nacionais vão pagar R$ 50 para despachar malas de até 23 kg nos próximos meses. A medida não está em vigor, mas será implementada “no futuro”, segundo a Latam.

A cobrança foi permitida por uma nova regra da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) de dezembro do ano passado, que entrará em vigor no dia 14 de março. Pela regra atual, as companhias aéreas são obrigadas a transportar sem cobranças adicionais uma bagagem despachada de 23 kg para voos nacionais e duas de 32 kg para voos internacionais.

Veja a seguir a tabela com os preços que serão cobrados pela bagagem despachada na Latam:

Tabela de cobrança de voos da Latam. (Foto: Divulgação)

Tabela de cobrança de voos da Latam. (Foto: Divulgação)

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Primeira edição do Techpark Meeting da Feevale acontece amanhã (07)
Planalto anuncia Jucá novo líder do governo no Senado e André Moura, no Congresso
Deixe seu comentário
Pode te interessar