Quarta-feira, 15 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fair

Ciência Missão da Nasa em Marte “ouve” ruídos abaixo da superfície. Foram mais de 100 movimentações detectadas em seis meses

Compartilhe esta notícia:

Segundo a agência espacial, as primeiras vibrações abaixo da superfície foram detectadas em abril pelo sismômetro da missão. (Foto: Divulgação/Nasa)

A Nasa, a agência espacial americana, captou mais de cem movimentações sísmicas em Marte em apenas seis meses. O balanço foi anunciado nesta terça-feira (01) e é resultado da missão da sonda Insight Mars, que investiga o interior do planeta vermelho em uma incursão inédita.

Segundo a agência espacial, as primeiras vibrações abaixo da superfície foram detectadas em abril pelo sismômetro da missão, chamado de SEIS (Experimento Sísmico para Estrutura Interna). Ele é tão sensível, que os cientistas garantem ser capaz de capturar até mesmo de uma brisa de vento.

“Martemoto”

Em maio e julho deste ano, o SEIS conseguiu captar dois significativos “martemotos”, respectivamente o Sol 173 com magnitude 3.7; e o Sol 235 de magnitude 3.3. Estas duas vibrações sugerem, diz a agência, que a crosta marciana pode ser formada por algo similar ao que seria uma mistura da Terra com a Lua, por apresentar características parecidas nas movimentações sísmicas dos dois corpos celestes.

“É muito impressionante ouvir as primeiras vibrações da missão”, celebrou por meio de nota Constantinos Charalambous, um dos membros da InSight. “A gente consegue começar a entender o que realmente está acontecendo em Marte, com o InSight fincado na superfície.”

Som já foi captado antes

A Nasa captou pela primeira vez o áudio do vento em Marte em dezembro de 2018. Segundo a agência, dois sensores detectaram essas vibrações de vento: um sensor de pressão de ar dentro do módulo de aterrissagem e um sismógrafo localizado no convés da Insight, aguardando a implantação pelo braço robótico da Insight.

Os dois instrumentos gravaram o ruído do vento de diferentes maneiras. O sensor de pressão de ar, parte do APSS (Subsistema Auxiliar de Sensor de Carga Útil), que coleta dados meteorológicos, registrou essas vibrações de ar diretamente.

O sismógrafo registrou as vibrações causadas pelo vento que se movia sobre os painéis solares da espaçonave, que têm 2,2 metros de diâmetro e se destacam dos lados da sonda como um par de orelhas gigantes.

Missão em Marte

A sonda pousou em Marte em novembro de 2018, após sete meses de viagem. Foi a oitava vez que a Nasa conseguiu fazer um pouso em Marte. A nave não tripulada percorreu 482 milhões de km. Parte de sua missão é informar dos esforços para enviar algum dia exploradores humanos ao planeta vermelho – algo que a Nasa espera concretizar na década de 2030.

A Insight não tem capacidade de detectar vida no planeta – isso será deixado para os futuros robôs. A missão da agência em 2020, por exemplo, irá coletar rochas que possam conter evidências da vida antiga. Este pouso em Marte foi o primeiro desde 2012, quando o explorador Curiosity da Nasa pousou na superfície e analisou as rochas em busca de sinais de vida que possa ter habitado o planeta vizinho da Terra, agora gélido e seco.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

A força-tarefa da Operação Lava-Jato muda a conduta ao pedir regime semiaberto para Lula
O governo federal investe na segunda fase da Medida Provisória da Liberdade Econômica
Deixe seu comentário
Pode te interessar