Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Brasil Montadoras brasileiras têm programa de investimentos de R$ 88 bilhões até 2018, afirma presidente da Anfavea em Porto Alegre

Compartilhe esta notícia:

Luiz Moan escolheu a Capital gaúcha para realizar seu último encontro com jornalistas antes de deixar a presidência da Anfavea (Foto: Marcelo Warth/Especial/O Sul)

O presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Luiz Moan, fez um balanço da sua gestão à frente da entidade durante almoço com jornalistas nesta segunda-feira (18), em Porto Alegre. Ele deixará o comando da associação no dia 25 de abril, quando será substituído por Antonio Megale, da Volkswagen. O diretor da GM (General Motors) afirmou que as montadoras associadas à Anfavea tem um programa de investimentos no País que totaliza R$ 88 bilhões no período 2012-2018.

Ele não revelou quanto desse montante já foi aplicado pelas fabricantes de veículos, mas ressaltou que, mesmo com a crise, nenhum investimento foi cancelado. Questionado pelo jornal O Sul se havia algum investimento previsto para o Rio Grande do Sul, afirmou: “Isso é com as montadoras”.

Moan ressaltou as “medidas de caráter estrutural importantes, plantando a volta do crescimento do setor”, implementadas durante a sua gestão, e a atuação da Anfavea para evitar a aprovação de projetos no Congresso que prejudiquem o setor automotivo e os consumidores. O dirigente afirmou que a Anfavea atuou para impedir que a crise econômica fosse ainda maior.

Ele ressaltou que as montadoras brasileiras fecharam 15 mil vagas de emprego nos últimos 12 meses e estão adotando medidas como férias coletivas e lay-off para evitar mais demissões. Moan disse que o nível de emprego no setor voltou ao patamar de 2010.  “Ainda neste ano ou no primeiro semestre de 2017, voltaremos a ter previsibilidade de crescimento”, declarou o executivo da GM, que se aposentará em 31 de maio.

Impeachment

Em relação ao processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, Moan declarou esperar que a questão se resolva o mais breve possível, ressaltando que a Anfavea é uma entidade apartidária e não se posiciona nem contra nem a favor do afastamento da mandatária. Segundo ele, a associação defende as instituições democráticas.

Ainda nesta segunda-feira, Moan, que escolheu a Capital gaúcha para realizar seu último encontro com jornalistas antes de deixar a presidência da Anfavea, participa de audiência na Comissão Especial do Rio Grande Resiliente, da Assembleia Legislativa do RS. O encontro, com o tema Inovação e Infraestrutura Resiliente, inicia às 18h30min. (Marcelo Warth/O Sul)

Moan também deixará a diretoria da GM (Foto: Marcelo Warth/Especial/O Sul)

Moan também deixará a diretoria da GM (Foto: Marcelo Warth/Especial/O Sul)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Suspensa por doping, Maria Sharapova pode ser inocentada
Vereador de Porto Alegre propõe licença por morte de animal de estimação
Deixe seu comentário
Pode te interessar