Quarta-feira, 08 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fair

Mundo Músico que coletava sons da natureza é morto por urso

O músico de 44 anos foi surpreendido pelo animal durante o sono. (Foto: Reprodução de internet)

Um homem franco-canadense morreu depois de ser atacado por um urso-pardo em uma área remota do Canadá na semana passada, anunciou a polícia na segunda-feira (19). Julien Gauthier, um músico de 44 anos, foi surpreendido pelo animal durante o sono.

Ele estava viajando pelo rio Mackenzie em uma expedição para gravar sons da natureza para um projeto musical. Ataques de ursos-pardos sem que os animais sejam provocados são muito raros, dizem as autoridades de conservação ambiental da área.

No dia 15 de agosto, aproximadamente às 7h45min, a polícia do Canadá foi alertada pelo lançamento de um sinal de socorro na área de Tulita, no rio Mackenzie, nos Territórios do Noroeste, área isolada acessível apenas por via marítima ou aérea.

Ataque durante a noite

Camille Toscani, bióloga que viajou com Gauthier e fez o alerta, disse que ele foi arrastado por um urso-pardo no meio da noite, enquanto dormia na margem do rio. A polícia enviou um helicóptero para a área para procurar o músico. Seu corpo acabou sendo encontrado no dia seguinte.

Gauthier, que era compositor e sonoplasta, planejava descer o rio Mackenzie de Fort Providence a Inuvik (cerca de 1.500 quilômetros), como disse em uma plataforma de crowdfunding para explicar seu projeto.

Ele nasceu e cresceu no Canadá com seus dois pais franceses, mas mudou-se para a França aos 19 anos. A orquestra francesa Orchestre Symphonique de Bretagne prestou homenagem a Gauthier em redes sociais, dizendo que ele era “um homem sensível, generoso e talentoso” que tinha “um senso de aventura e inteligência raros”.

“Era o sonho dele ir para lá”, disse Toscani. “Ele me pediu para participar desta aventura, nós pensamos nisso há três anos. Ficamos muito felizes em poder fazer isso. Ele era um artista único, inspirado por espaços abertos e pela natureza”, disse ela.

Outro caso

Em novembro do ano passado, uma canadense e seu bebê morreram em decorência de um ataque de urso pardo no território de Yukon, no noroeste do Canadá. Valerie Theoret, de 37 anos, estaria caminhando com sua filha Adele, de 10 meses, quando o animal as atacou.

O pai do bebê e companheiro da mulher tinha saído sozinho para pescar e, ao voltar, foi confrontado por um urso perto da cabana. Em seguida, ele achou os corpos da mulher e da filha. A cabana fica às margens do Lago Einarson, a mais de 400 quilômetros de Whitehorse, a única cidade em Yukon. O casal se instalou na cabana enquanto durava a licença-maternidade de Theoret, que era professora em uma escola primária de Whitehorse.

O clima cada vez mais instável e a intrusão no habitat natural de algumas espécies animais causaram vários ataques nos últimos dois anos no Canadá, incluindo o assassinato em agosto de um caçador Inuit por um urso polar em Nunavut, no extremo norte do país.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Sonda indiana entra na órbita da Lua
Quarta-feira começa fria no Rio Grande do Sul 
Deixe seu comentário
Pode te interessar