Terça-feira, 07 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Cloudy

Economia O Canadá iniciou negociação com o Mercosul para abertura comercial: O ministro brasileiro da Indústria e Comércio disse que o acordo é bom, após o veto americano ao aço importado do Brasil

Compartilhe esta notícia:

O ministro interino da Indústria e Comércio brasileiro, Marcos Jorge de Lima. (Foto: Washington Costa/MDIC)

No momento em que os Estados Unidos fecham as portas ao aço brasileiro, o Canadá firmou acordo para iniciar as tratativas de abertura comercial com o Mercosul. As informações são do jornal Folha de S.Paulo e da agência de notícias Reuters.

Os chanceleres do Mercosul e do Canadá se reuniram nesta sexta-feira (9) em Assunção, no Paraguai, e assinaram uma declaração conjunta se comprometendo em lançar as negociações para um acordo amplo de livre comércio.

A primeira rodada de negociações foi marcada para ocorrer ainda neste mês, entre os dias 20 e 23 de março, em Ottawa, no Canadá.

Além do acesso a mercados para bens e serviços, Mercosul e Canadá tratarão de questões relacionadas ao fluxo de trabalhadores e meio ambiente, entre outros.

O ministro interino da Indústria e Comércio brasileiro, Marcos Jorge de Lima, que participou da reunião em Assunção, afirmou que o acordo com o Canadá, logo após a decisão americana de vetar o aço importado, é “emblemático”.

“É uma mensagem clara que queremos promover o desenvolvimento através da abertura comercial”, disse.

Em mensagem gravada enviada de Assunção, Marcos Jorge afirmou que o governo brasileiro está se mobilizando para recorrer da decisão do presidente norte-americano Donald Trump.

“Foi aberta a possibilidade de recurso e vamos recorrer. Disse isso pessoalmente ao secretário [de comércio dos EUA] Wilbur Ross, e se necessário for vamos a todas as instâncias, inclusive as multinacionais, como a OMC [Organização Mundial do Comércio]”.

Mensagem política

O chanceler paraguaio, Eladio Loizaga, foi o anfitrião do encontro que incluiu os ministros das Relações Exteriores de Argentina, Brasil e Uruguai e o ministro do Comércio do Canadá.

“Este lançamento está transmitindo uma mensagem política muito importante para a comunidade internacional, já que hoje estamos vendo o início do que pode ser um retrocesso no livre comércio e um protecionismo que acreditávamos superado”, disse Loizaga.

“Estamos enviando uma mensagem ao mundo”, concordou o ministro canadense François-Philippe Champagne, que destacou as possibilidades de intercâmbio com o quarto maior bloco comercial do mundo, que tem uma população combinada de 260 milhões de habitantes.

O chanceler uruguaio, Rodolfo Nin Novoa, explicou que o pacto tem um caráter “progressista” porque não aborda unicamente questões tarifárias ou de impostos, mas estabelece regras vinculadas ao gênero, às pequenas empresas e ao meio ambiente.

“Calculo que até o final deste ano, com toda certeza, poderia acontecer”, declarou em relação à conclusão do acordo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

A prisão de Joesley Batista era “flagrantemente aviltante”, disse o juiz que mandou soltar o dono da JBS/Friboi
O Twitter vai passar a permitir que qualquer um de seus usuários tenha uma conta verificada
Deixe seu comentário
Pode te interessar