Sexta-feira, 18 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fog

Brasil O diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde informou que a situação do Brasil na pandemia do coronavírus é muito preocupante

Compartilhe esta notícia:

Estudo indica que 20% dos infectados ainda contagiam após 30 dias. (Foto: Reprodução)

O diretor de emergências da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, declarou nesta segunda-feira (3) que a situação do Brasil na pandemia de Covid-19 continua a ser “muito preocupante”.

“A situação no Brasil continua a ser muito preocupante, com muitos Estados relatando alto número de casos. A contagem média diária é de 60 mil [novos] casos e mais de mil mortes por dia”, afirmou Ryan.

O diretor de emergências declarou que a única forma de resolver o problema, no Brasil e em outros países que estão em condições semelhantes, é suprimir a transmissão comunitária, com união das esferas de governo e das comunidades locais.

“Em todos os países, o governo precisa fazer sua parte, para detectar e isolar casos, rastrear contatos, quando possível, e criar condições nas quais a doença não pode se espalhar facilmente”, afirmou. “Isso é muito fácil de dizer, mas muito difícil de alcançar”, admitiu Ryan.

“Não há bala mágica aqui, como eu já disse antes. Isto vai requerer uma reprogramação, em muitos países, sobre como eles abordam a supressão deste vírus, como eles abordam a comunicação, o empoderamento e o engajamento com as comunidades”, disse.

“Alguns países realmente vão ter que dar um passo para trás agora e olhar como eles estão lidando com a pandemia em suas fronteiras nacionais. Eles estão fazendo todo o possível – politicamente, economicamente, medicamente – para suprimir o vírus e apoiar suas comunidades?”, questionou.

A líder técnica da OMS, Maria van Kerkhove, lembrou que a transmissão do vírus não costuma ocorrer de forma uniforme em todo o País. Ela afirmou, também, que o Brasil é um País de “tremendos recursos” e “tremenda vontade” no enfrentamento ao problema.

“Nós vimos, em alguns países que passaram por algo similar, que eles tentaram isolar o lugar onde está o maior problema e mobilizar os recursos para lá primeiro, se os recursos estão limitados”, disse van Kerkhove. “Nós sabemos que no Brasil há tremendos recursos, e há tremenda vontade para enfrentar esse problema.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que, no Brasil ou em outros lugares, a situação pode ser revertida.

“Nunca é tarde demais”, disse Tedros. “Eu gostaria de citar Martin Luther King: ‘o momento sempre é certo para fazer o que é certo’. Acho que o que podemos aprender com isso é: não devemos desistir. Qualquer coisa pode ser revertida. Nunca é tarde demais. No Brasil ou em outros lugares, a situação pode ser revertida”, disse.

Na última sexta-feira (31), a OMS registrou um recorde de novos casos diários em todo o mundo: foram mais de 292 mil novas infecções em 24 horas.

Casos no Brasil

O balanço do Ministério da Saúde divulgado nesta segunda-feira (3) trouxe 561 novas mortes registradas nas últimas 24 horas em razão da Covid-19. Com isso, o total de óbitos chega a 94.665. Ainda há 3.578 óbitos em investigação.

A atualização do ministério trouxe também 16.641 novos casos de Covid-19 notificados pelas secretarias de saúde nas últimas 24 horas. Com este acréscimo, a soma de pessoas infectadas desde o início da pandemia atingiu 2.750.318.

Ainda de acordo com o boletim diária do Ministério da Saúde, há 743.334 pacientes em acompanhamento. Até o momento, 1.912.319 pessoas já se recuperaram da doença.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 3,4%. A mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) atingiu 45. A incidência dos casos de Covid-19 por 100 mil habitantes é de 1.308,8.

Aos sábados, domingos e segundas-feiras, o número registrado diário tende a ser menor pela dificuldade de alimentação dos bancos de dados pelas secretarias municipais e estaduais. Já às terças-feiras, o quantitativo em geral é maior pela atualização dos casos acumulados aos fins de semana.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

O governo prevê um crédito extra de 1 bilhão e 900 milhões de reais para a produção de vacina contra o coronavírus
Brasileiros desenvolvem teste rápido e barato para o coronavírus capaz de prever o risco de complicações
Deixe seu comentário
Pode te interessar