Quinta-feira, 13 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Light Drizzle

Brasil Eduardo Cunha reclama do transporte para audiências da Operação Lava-Jato. O juiz Sérgio Moro diz que o veículo que leva o deputado cassado está “longe de causar sofrimento”

Compartilhe esta notícia:

Cunha já foi condenado em uma ação da Lava-Jato e é réu em outro processo que apura o recebimento de propina em contratos da Petrobras. (Foto: Divulgação)

O deputado federal cassado Eduardo Cunha (MDB-RJ) reclamou por duas vezes do transporte utilizado para levá-lo às audiências da Operação Lava-Jato. O juiz federal Sérgio Moro informou que fez uma inspeção e que o veículo “está longe de causar sofrimento”. Fotos do veículo foram anexadas ao processo.

De acordo com o magistrado, o réu é transportado sozinho na parte de trás do veículo, em bancos acolchoados e com cinto de segurança, nos dias em que precisa ser levado do Complexo Médico-Penal, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), onde está preso, para a sede da Justiça Federal na capital paranaense.

“De fato, o transporte no local não é totalmente confortável, mas está longe de causar sofrimento ou de ser indigno ao transportado. Entendo que, com todo o respeito ao ex-deputado, as condições, embora não sejam ideais, são adequadas, considerando as limitações de recursos das forças de segurança”, argumenta Moro.

Ainda segundo o juiz, não há como exigir que o transporte seja feito sempre em uma van, ou como permitir que o ex-deputado seja transportado sentado no meio de agentes armados, o que viola os protocolos de segurança.

“Então é o que se dispõem para a escolta, sendo de se observar que o acusado já foi condenado criminalmente por outro processo, em duas instâncias”, finaliza Moro em despacho publicado na última quarta-feira (21).

Em despacho anterior, de 9 de março, Moro já havia se posicionado sobre a reclamação. “Não me parece que o transporte na traseira, nas condições apontadas, traga maiores desconfortos ao preso e, por outro lado, o preso, mesmo não tendo histórico de violência, não pode ser transportado ao lado de agentes armados sob pena de incorrer em situações de risco desnecessárias”, afirmou o juiz.

Processos

O ex-presidente da Câmara dos Deputados já foi condenado em uma ação da Lava-Jato e é réu em outro processo que apura o recebimento de propina em contratos para o fornecimento de navios-sonda para a Petrobras.

Cunha também responde a uma ação civil de improbidade administrativa, na 6ª Vara Federal de Curitiba, também no âmbito da Operação Lava-Jato, que alega a formulação de um esquema entre os réus visando o recebimento de vantagem ilícita proveniente de contratos da Petrobras. Cunha foi preso em outubro de 2016 e, atualmente, está custodiado no Complexo Médico-Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Fotos do veículo que leva Eduardo Cunha para audiências na Justiça Federal de Curitiba foram anexadas ao processo após reclamações do réu. (Foto: Reprodução)

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Idosos envolvem-se nas celebrações de Páscoa no Asilo Padre Cacique
Mais de 10 mil pessoas no primeiro Desfile da Chocofest na Magia da Páscoa, em Nova Petrópolis
Deixe seu comentário
Pode te interessar