Quarta-feira, 19 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Partly Cloudy

Notícias O governador gaúcho assegurou que está focado em reduzir os custos tributários

O líder gaúcho apresentou o Rio Grande do Sul como uma oportunidade de entrada no Brasil. (Foto: Felipe Dalla Valle)

Assim como ministros, outros governadores e representantes da iniciativa privada, o chefe do Executivo do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, foi um dos palestrantes na quinta-feira (5) da 2ª Conferência de Cidades Latino-americanas, em Brasília (DF). Organizada pelo Conselho das Américas, o evento teve como temática “Agenda do Brasil para crescimento econômico e desenvolvimento”.

Leite participou, juntamente com o governador do Maranhão, Flávio Dino de Castro e Costa, do painel “Lideranças regionais no Brasil: Nova gestão e oportunidades de investimento”, mediado pela jornalista da CBN, Basília Rodrigues. Entre os tópicos debatidos estiveram as perspectivas econômicas para o país, a agenda de investimentos, infraestrutura e comércio e as novas práticas e avanços na gestão estadual.

O líder gaúcho apresentou o Rio Grande do Sul como uma oportunidade de entrada no Brasil, tanto pela posição geograficamente estratégica na América Latina e pela proximidade cultural com os países vizinhos, bem como pela agenda de desenvolvimento colocada em prática pelo governo, com parcerias público-privadas, privatizações, programas de inovação e tecnologia, em paralelo à agenda de combate à crise financeira.

Reformas estruturantes 

“Do ponto de vista econômico, o Estado é forte. Do ponto de vista fiscal, o governo tem um problema. Por isso, estamos promovendo reformas estruturantes, de forma a reduzir o custo da máquina pública. Mas sem esquecer de promover um ambiente atrativo a novos investidores e para manter os que já estão no RS. Para isso, estamos focados em três pontos: reduzir os custos tributários, logísticos e burocráticos”, apontou Leite.

Os governadores das duas distintas regiões do país discutiram, ainda, as perspectivas econômicas nacionais e de que forma as políticas implementadas pela União impactam em seus Estados. O gaúcho destacou as avançadas tratativas para o RS aderir ao RRF (Regime de Recuperação Fiscal), de fundamental importância para proporcionar um período para o Estado se recuperar, além da atuação em outras frentes.

A abertura da conferência foi feita pela presidente & CEO da Americas Society/Council of the Americas, Susan Segal. Ao longo da manhã, participaram de painéis os ministros da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina; da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro; das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes; além do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Também investidores internacionais participaram de uma discussão sobre oportunidades no Brasil. Os executivos compartilharam suas perspectivas sobre diferentes áreas, tais como infraestrutura, agricultura, energia e ciência e tecnologia.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Candidato ao governo do Rio de Janeiro em 2018, o ex-deputado Índio da Costa é preso pela Polícia Federal
Mulher que enviou bombons envenenados para a ex de seu namorado é condenada a 33 anos de prisão em São Paulo
Deixe seu comentário
Pode te interessar