Sexta-feira, 03 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Fair

Brasil O inferno astral do líder do governo na Câmara dos Deputados

Compartilhe esta notícia:

Dessa vez, a saia-justa de Major Vitor Hugo (foto), líder do governo na Câmara, foi com o ministro Onyx Lorenzoni. (Foto: Reprodução)

Não está fácil para o Major Vitor Hugo, líder do governo na Câmara. Dessa vez, a saia-justa foi com Onyx Lorenzoni. Na quarta-feira da semana passada, um dia depois que Rodrigo Maia rompeu publicamente com ele, Major Vitor Hugo farejou uma agenda positiva na Câmara com ambientalistas. Foi todo pimpão para a reunião.

O grupo pediu a retirada de pauta de quatro projetos que tentam flexibilizar a caça de animais silvestres. Um deles já teve mais de 400 mil assinaturas contrárias no portal Change. Vitor Hugo concordou e jurou aos ativistas que levaria o documento a Onyx, seguindo o rito de a Casa Civil receber documentos enviados ao Planalto por parlamentares. Mas acontece que um dos projetos atacados pelos ativistas tem como autor Onyx Lorenzoni, quando era deputado.

Reconciliação

O presidente Jair Bolsonaro, em reunião com o líder do Governo na Câmara Federal, Major Vitor Hugo, determinou que ele se reconciliasse com o presidente da Casa, Rodrigo Maia, como condição para mantê-lo no cargo.

O presidente nacional do PSL, partido de Bolsonaro, o deputado Luciano Bivar (PE) afirmou que o partido está fechado com o líder Vitor Hugo e negou que haja a intenção do Palácio ou da bancada de substitui-lo. Mas já havia lista de indicados de partidos do Centrão (PP, PRB, PR, SD, DEM) na mesa de Bolsonaro. E Maia, que descartou conversa com Vitor Hugo, ainda está um pouco reticente, embora tenha enviado sinais positivos a Bolsonaro.

Sobre as derrotas no Congresso, Bivar pondera que matérias importantes do Palácio – como reestruturação dos ministérios –, passaram e a tendência agora é consolidar a base. Ao negar atritos com o DEM, Bivar também usa tom conciliador e diz ver no presidente da Câmara é um aliado “que recebeu e recebe o apoio do partido (PSL)”.

Relação com Maia 

A relação de Rodrigo Maia com Major Vitor Hugo nunca decolou de fato. O rompimento anunciado por Maia veio após vários desentendimentos. Em 7 de maio, Vitor Hugo tentou entrar na residência oficial da Presidência da Câmara. Maia estava na casa, recebendo um deputado da bancada evangélica. Vitor Hugo foi barrado e teve de dar meia-volta.

“Vitor Hugo está excluído da minha relação porque ele compartilhou no grupo de deputados que negociar é entrar na Câmara com um saco de dinheiro”, disse Maia.

Aos demais líderes, na frente de Maia, Vitor Hugo respondeu que tentou de todas as maneiras criar uma relação com Maia. “Tentei de todas as maneiras e o Maia fugiu. Fugiu de ter uma relação. Ele só me atende depois de fazer tudo que tem a fazer. Ele não pode determinar quem entra ou não na Residência Oficial da Presidência da Câmara. A residência oficial é da Câmara e não dele, isso não é democrático.”

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Fiat apresenta proposta à Renault para criar a terceira maior empresa do mundo do setor automotivo
O número de procedimentos para tratar celulite aumentou quase 20%
Deixe seu comentário
Pode te interessar