Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

Brasil O mercado de tablets no Brasil registrou uma queda de 4,8% e mostra estagnação

Em 2017, o segmento teve queda de 4,8%, com 3,79 milhões de tablets vendidos. (Foto: Reprodução)

As vendas de tablets no mercado brasileiro devem recuar pelo quarto ano consecutivo em 2018, informou nesta quinta-feira a consultoria especializada em tecnologia da informação IDC Brasil.

A previsão da consultoria é que o setor tenha uma queda de 5,6% em comparação com 2017, para 3,58 milhões de unidades, mas com uma tendência à estabilização e equilíbrio de oferta e demanda.

“O mercado continuará focado em produtos para crianças, mas o público mais maduro também estará olhando para essa categoria e procurando equipamentos com especificações melhores”, disse em comunicado à imprensa o analista de pesquisa da IDC Brasil, Wellington La Falce.

Em 2017, o segmento teve queda de 4,8%, com 3,79 milhões de unidades vendidas, um desempenho que mostrou uma recuperação significativa em comparação aos anos anteriores, já que, em 2015, as vendas despencaram 39% e, em 2016, houve queda de 32%.

Como um dos fatores que contribuíram para as quedas consecutivas das vendas de tablets, a consultoria apontou a experiência ruim com equipamentos importados econômicos, mas de baixa qualidade e garantia; além da própria crise econômica e concorrência com smartphones.

“Depois de dois anos de queda acentuada nas vendas, muitas marcas saíram de cena, houve uma consolidação do mercado e quem ficou está mais focado e com estratégias bem agressivas”, disse La Falce, avaliando que mesmo com a queda do ano passado, o segmento chegou a um ponto de maturidade.

“O consumidor não deixou o tablet de lado, e mesmo que os dispositivos de entrada, com preço inferior a 500 reais, ainda dominem o setor, com 72% de fatia de mercado em 2017, houve um crescimento na faixa média, de equipamentos entre 500 reais e 1.000 reais, com 20% das unidades vendidas no ano passado”, disse o analista da IDC.

A empresa calculou a receita gerada pela venda de tablets no Brasil como sendo de 1,88 bilhão de reais, uma queda de 9%. O valor médio dos equipamentos caiu de 513 reais para 497 reais no ano passado.

Porém, no quarto trimestre, a IDC afirma que o segmento de tablets teve a melhor receita do ano, “com demanda mais alta por produtos melhores”. Neste período, foram vendidos 1,209 milhão de tablets, queda de 2% sobre o quarto trimestre de 2016. O valor médio dos produtos no período foi de 524 reais.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

“O Facebook sabia do esquema há três anos”, disse especialista
Os líderes europeus pediram às empresas digitais que garantam uma “proteção total da vida privada” dos cidadãos
Deixe seu comentário
Pode te interessar