Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

Brasil O ministro da Educação disse que um aplicador vazou a foto da redação do Enem

Weintraub disse também que não houve "nada polêmico" no exame. (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pela aplicação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), informou que a imagem da prova de Redação que circulou nas redes sociais é verdadeira.

Posteriormente, o ministro informou que um aplicador de provas vazou a imagem.

“A gente supõe que essa pessoa pegou a prova de ausentes e tirou foto da página da redação. Eu mesmo já tinha divulgado o tema, quando ele divulgou essas fotos, e agora ele vai ter que responder na Justiça. Vamos pegar essa pessoa e vamos atrás dela”, declarou o ministro.

Segundo sua avaliação, não houve dano nenhum por conta do vazamento. “Ninguém foi lesado. Mas houve a tentativa de macular, colocar em xeque. Foi um péssimo profissional. Mexe coma vida de cinco milhões e famílias. A gente vai localizar”, acrescentou.

Ele afirmou, ainda, que esse aplicador é uma “pessoa vil, baixa, pessoa má, que abusou da confiança dos outros”. “Estamos muito próximos de chegar à pessoa e ela vai enfrentar toda as consequências legais de seus atos”, disse Weintraub.

Em seguida, o ministro da Educação afirmou que o governo vai buscar “escangalhar o máximo a vida dele [do vazador]”.

“Eu sou uma pessoa que acho que as punições no Brasil são leves. Então a gente vai fazer praticamente tudo o que a gente puder fazer (…) Se der pra fazer criminal, cível, absolutamente tudo o que a gente puder fazer para essa pessoa se arrepender amargamente de um dia vir ao mundo”, disse.

Afirmou, também, que “não estamos no Império Romano” e que, portanto, “não existe mais empalamento nem crucificação”. E concluiu: “mas ele vai pagar por todos os pecados dessa vida”.

Prova sem polêmica

O ministro também afirmou que não houve “nada polêmico” no Enem deste ano. “Como deveria, ser. Sem doutrinação, sem ‘forçação’ de barra, respeita os indivíduos, pessoas e famílias. Não ficar doutrinando, buscando polêmica. Até o pessoal mais à esquerda não está criticando”, disse.

No ano passado, ainda antes de tomar posse, mas já eleito, Jair Bolsonaro afirmou tomaria conhecimento do conteúdo do Enem antes da aplicação da prova a partir deste ano, já como presidente da República.

Ele deu a declaração ao falar sobre uma questão no Enem deste ano que abordou o pajubá, conjunto de expressões associadas aos gays e aos travestis.

O ministro Weintraub afirmou que tanto ele, quanto o presidente do Inep, Alexandre Lopes, tiveram “contato” com a prova somente neste domingo.

“Nossas orientações eram para que fosse possível fazer uma prova para selecionar as pessoas mais qualificadas. O objetivo do Enem é separar os mais qualificados”, disse o ministro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump recebeu mais vaias do que aplausos em um evento do UFC
Os gabaritos do Enem serão divulgados no dia 13
Deixe seu comentário
Pode te interessar