Quinta-feira, 05 de agosto de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil O projeto de lei para proibir a pílula do dia seguinte foi protocolado por engano, disse o deputado federal que é o seu autor

Compartilhe esta notícia:

Márcio Labre (PSL-RJ) diz que texto do PL não estava concluído e promete uma nova versão para "informar sobre os efeitos dos medicamentos usados como contraceptivos". (Foto: Twitter)

O deputado federal Márcio Labre (PSL-RJ) solicitou a retirada de tramitação do PL (projeto de lei) 261/2019, de sua autoria, que propunha a proibição do comércio, propaganda e distribuição de métodos contraceptivos, como o DIU (dispositivo intrauterino), e da pílula do dia seguinte. No site da Câmara, o PL já consta como “retirado pelo autor”.

O PL havia sido protocolado na segunda (4), primeiro dia de trabalhos da nova legislatura e teve repercussão negativa nas redes sociais. “O projeto em questão não tinha seu texto finalizado. A redação não correspondia aos reais anseios da população que represento”, escreveu o deputado.

De acordo com ele, o texto do projeto “passou batido” junto a outros pelo menos cinco PLs formulados por ele e sua equipe. Ele promete uma nova versão da proposta. “A ideia principal do projeto, que apresentarei futuramente, quando finalizar os estudos que fundamentarão o texto, é informar sobre os efeitos dos medicamentos usados como contraceptivos que, na verdade, são micro abortivos.”

Na versão protocolada do projeto, Marcio Labre considerava como “microabortivos”, além do DIU e da pílula: “a pílula só de progestógeno (minipílula), o implante subcutâneo de liberação de progestógeno (Norpant), a pílula RU 486, a vacina anti-HCG e qualquer outro dispositivo, substância ou procedimento que provoque a morte do ser humano já concebido, ao longo de toda sua gestação, sobretudo antes da implantação no endométrio.”

O texto previa a permissão a policiais para “apreender e destruir todo o material que viole, ou seja, destinado a violar o disposto nesta Lei, podendo interditar o estabelecimento industrial ou comercial que reiteradamente descumprir as presentes normas”.

Mais Médicos

Os médicos brasileiros formados no exterior, mas sem registro no País terão os dias 13 e 14 para fazer inscrição nas vagas em aberto do programa Mais Médicos. Os candidatos deverão entrar no site do programa e indicar em quais municípios desejam realizar o atendimento à população.

O processo ocorrerá na próxima semana. No dia 13, o Ministério da Saúde irá divulgar os municípios com vagas remanescentes em aberto. Nos dois dias seguintes, os médicos que obtiveram diplomas no exterior, mas não têm registro no Brasil escolherão a cidade de sua preferência entre as que disponibilizaram vagas.

No dia 19, será divulgada a lista dos inscritos, das vagas ocupadas e dos municípios contemplados. De acordo com o Ministério da Saúde, os profissionais sem registro vão passar por um “módulo de acolhimento”, onde serão oferecidas aulas e haverá avaliação pela equipe do programa, com aplicação de exames e outras formas de verificação da condição de atuação dos inscritos.

tags: pílula

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Clubes brasileiros e estrangeiros manifestaram solidariedade às vítimas do incêndio no Flamengo
Saiba quanto vale um quadro pintado por Adolf Hitler. Peças assinadas pelo nazista serão leiloadas em Nuremberg, na Alemanha
Deixe seu comentário
Pode te interessar