Sábado, 04 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fair

Capa – Magazine Ospa leva dois recitais gratuitos ao Margs

Ospa e o projeto Música No Museu. (Foto: Mariana Sirena)

Quem for ao próximo evento da Série Música no Museu, parceria entre a Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) e o Margs (Museu de Arte do RS Ado Malagoli), entrará em contato com um repertório e instrumentos musicais inusitados. No dia 16 de julho, domingo, às 16h30, o grupo “Remendola de Chave”, formado pelo percussionista Diego Silveira e o pianista Paulo Bergmann, apresenta sua música autoral utilizando desde o teclado até vuvuzelas. Na mesma tarde, o“Trio de Metais” composto por Elieser Fernandes (trompete), Israel Oliveira (trompa) e José Milton Vieira (trombone) executa obras originais do Século XX para a sua formação. Os dois recitais acontecem no coração da exposição “Paisagem no Tempo – Carlos Petrucci e o acervo do MARGS”. A entrada é franca.

O programa
Diego Silveira e Paulo Bergmann comentam seu trabalho: “A remendola de chave é um instrumento antecessor da pianola, do realejo, do sequenciador e do loop. O nosso conjunto se inspira nesse instrumento e mistura fragmentos sonoros. Diferentes estilos e proveniências musicais são passados no liquidificador e filtrados no piano, na escaleta, no computador e nas vuvuzelas.” Seis músicas compõem a apresentação: “Cluster de Abertura”, “Amostra Surubim de Fumaça de Brinquedo”, “Consolação com Quadros Manuais de Campainha JB Hocus Pocus”, “Remendola”, “Singa Dias Nave Canteyopitfall” e “Fita com Tangodeon de Funk Messias e Sopro Midnight de Canaleão Shadow”.

Na segunda parte da tarde, o Trio de Metais apresenta “Trio de metais Escaleno” de Fernando Morais, “Quatre Esquisses” de Eugene Bozza e “Sonata para Trio de Metais” de Francis Poulenc. O trombonista José Milton Vieira conta: “O nome da primeira obra é uma comparação entre os lados de um triângulo escaleno e os instrumentos de um trio de metais. A segunda obra é um tradicional duo de trompete e trombone, desafiante e repleto de variações melódicas e rítmicas. A última é a peça mais famosa para essa formação. Ela reúne uma série de episódios de dança, uma canção de ninar e um rondó um pouco mais movido”.

A série
Lançada no ano passado, a série Música no Museu foi criada para institucionalizar a presença da música de câmara na programação da Ospa. Ela leva ao público repertórios para formações menos numerosas em relação à orquestra, além da produção de compositores que escrevem especificamente para essas formações. Em Porto Alegre, os encontros são promovidos uma vez por mês em parceria com o MARGS. O objetivo da série é também aproximar música, artes visuais e história em um espaço tradicional da cidade dedicado à preservação da nossa história cultural.

Dica

Quem for ao recital poderá apreciar também, além de “Paisagem no Tempo”,  as mostras “A trajetória da luz”, de Leon Santos, “Marilice Corona – entre o acervo e o eStúdio”, “No eStúdio – mostra coletiva do Studio P” e “TRAÇO SOLTO – Trânsitos da Arte Naif no Acervo do Margs “.
Programa
Remendola de Chave, formado por Diego Silveira (Computador) e Paulo Bergmann (Piano)
Cluster de Abertura
Amostra Surubim de Fumaça de Brinquedo
Consolação com Quadros Manuais de Campainha JB Hocus Pocus
Remendola
Singa Dias Nave Canteyopitfall
Fita com Tangodeon de Funk Messias e Sopro Midnight de Canaleão Shadow
Trio de Metais, formado por José Milton Vieira (Trombone), Elieser Ribeiro (Trompete) e Nadabe da Silva (Trompa)
Fernando Morais: Trio de metais Escaleno
Eugene Bozza: Quatre Esquisses
Francis Poulenc: Sonata para Trio de Metais
Serviço
Quando: 16 de julho, domingo, às 16h30
Onde: Museu de Arte do RS Ado Malagoli – MARGS (Praça da Alfândega, s/n – Centro Histórico)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Magazine

Rodrigo & Callegari se apresentam no Rosario Resto Lounge
Ospa Jovem realiza concerto no Theatro São Pedro nesta terça-feira
Deixe seu comentário
Pode te interessar