Segunda-feira, 17 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Mostly Cloudy

Colunistas Padilha anuncia medidas do governo para criar empregos no País

Eliseu Padilha (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Quem assistiu ontem o pronunciamento do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, durante a abertura da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, em Brasília, teve certeza de que o governo dispõe de várias alternativas para virar a forte tendência de desemprego herdada da gestão anterior.

Padilha foi enfático ao afirmar que o governo trabalha com “umas 20 hipóteses” de mais medidas microeconômicas para criar empregos no País. Prudente, evitou antecipar medida nova, mas assegurou que as hipóteses estão sendo consideradas e que o governo quer ouvir sugestões do Conselhão. “Temos que ter medidas que agora neste momento ajudem a gerar emprego.

Nós precisamos ter outras medidas e nós estamos trabalhando com umas 20 hipóteses, mas não vou aqui anunciar nada porque nós queremos ouvir conselhos” afirmou, para depois comentar a situação do desemprego no País, após a divulgação de que a taxa de desocupação no Brasil ficou em 12% no trimestre encerrado em dezembro, avaliando que o desemprego “já parou de seguir na velocidade que vinha” e que a situação agora está se estabilizando.

Pretto assume com discurso conciliador

Com um discurso conciliador, o deputado Edegar Pretto (PT) tomou posse ontem na presidência da Assembleia, prometendo adotar a postura de chefe de Poder. Porém, anunciou que deverá abrir maior espaço para organizações sindicais no Legislativo. Pretto substitui à deputada Silvana Covatti (PP), a primeira mulher a comandar o Palácio Farroupilha, em mais de 180 anos de existência do Legislativo gaúcho.

Edegar Pretto teve apenas um voto contra

A eleição de Edegar Pretto (PT) teve apenas um voto contra. Foi o voto do deputado Marcel Van Hatten (PP) que na véspera já anunciara que, por não ter participado do acordo, não se via obrigado a referendá-lo. Van Hatten justificou ainda que “em respeito aos meus eleitores, não poderia votar em um representante de organizações como o MST, o Cpers e a CUT”.

Eleito teve 47 votos

A eleição de Edegar Pretto teve 47 dos 55 votos possíveis. Faltaram à sessão Pedro Ruas (PSOL) que acompanha o pai, Isnar Ruas hospitalizado recuperando-se de um acidente vascular cerebral, Stela Farias (PT), Marlon Santos (PDT), Luiz Augusto Lara (PTB), Any Ortiz (PPS), Pedro Pereira (PSDB) que anunciara na véspera que não votaria em Edegar Pretto, e Lucas Redecker (PSDB).

Otomar Vivian chamado para o IPE

O ex-presidente da Assembleia Legislativa Otomar Vivian (PP) foi convidado pelo governador José Ivo Sartori para assumir a presidência do IPE (Instituto de Previdência do Estado), cargo que já ocupou há mais de 10 anos. A missão de Otomar Vivian será a de sanear o instituto, que vive uma crise de gestão que perdura há alguns anos.

O filtro de Padilha

Embora o intenso fogo amigo – e inimigo – que recebeu nos últimos dias, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, continua firme como o número um na confiança do presidente Michel Temer. A maior demonstração pública desse prestígio foi a missão dada a Padilha pelo presidente Temer: fazer o filtro das dezenas de pré-candidatos à vaga do falecido ministro Teori Zavascki no STF.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

O que está em jogo
Novo pacote pela frente
Deixe seu comentário
Pode te interessar