Quinta-feira, 24 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Mundo Parada gay em Madri reúne 1 milhão de pessoas

Compartilhe esta notícia:

Multidão se reúne no Centro de Madri com bandeiras nas cores do arco-íris. (Foto: Reprodução)

Aproximadamente 1 milhão de pessoas desafiaram o calor e as preocupações com segurança para participar da World Pride Madrid 2017, a parada gay de Madrid, na Espanha, neste sábado (01). A marcha foi liderada por políticos dos principais partidos, de direita e esquerda, que carregaram juntos uma grande placa com a inscrição “pelos direitos LGBT em todo o mundo”.

Atrás deles, uma grande massa se movimentava lentamente, empunhando bandeiras com as cores do arco-íris e dançando. O evento teve a participação de 52 carros alegóricos, que transformaram o evento em uma espécie de carnaval fora de época, além de grupos vindos de vários lugares do mundo, como Estados Unidos e Reino Unido, e ainda de membros de comunidades gays rurais e até das forças policiais espanholas.

Para todas as pessoas que estão sofrendo perseguições em seus países, nós celebramos nosso orgulho e lhe damos visibilidade”, disse à multidão o líder da Federação Espanhola de pessoas LGBT, Jesus Generelo.

Durante a marcha, foi lembrado o ataque sofrido por membros da comunidade de gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros em uma boate de Orlando, na Flórida, nos Estados Unidos, quando 49 pessoas ficaram feridas, exatamente três semanas atrás.

Além disso, quatro ativistas leram um manifesto que pede à União Europeia para ajudar a “exportar” os direitos LGBT para países que discriminam, criminalizam e torturam gays, com especial ênfase na Chechênia e na Rússia. E também pediram que a OMS (Organização Mundial da Saúde) pare de classificar transgêneros como “mentalmente doentes”.

Apesar de as autoridades espanholas terem dito que não tinham indicações de ataques terroristas, o tráfego de veículos foi reduzido em toda a cidade, os caminhões foram proibidos de circular e 3,5 mil policiais foram destacados para a segurança da área central.

O World Pride já aconteceu em Londres, na Inglaterra, em 2012, e em Toronto, no Canadá, em 2014, e a próxima edição será realizada em Nova York (EUA), em 2019.

Avanços e retrocessos nos direitos LGBT

A Espanha foi um dos primeiros países na Europa a se manifestar pelos direitos dos homossexuais. Um marco nesse processo foi o ano de 1977, quando o país voltou a ter uma democracia depois de 36 anos de ditadura do general Francisco Franco. A Espanha também permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, aprovado em 2005, mas, nos últimos anos, vem ficando para trás na comparação com os vizinhos europeus.

O ranking de direitos de homossexuais, bissexuais e transsexuais no bloco elaborado pela Ilga Europa, uma das principais organizações do coletivo no continente, coloca a Espanha ficou na nona posição neste ano. O país já havia alcançado o segundo posto do ranking, que hoje é liderado por Malta, Noruega e Reino Unido. Uma das principais razões da queda é que o governo ainda não aprovou uma lei contra a discriminação por orientação sexual, chamada de Lei da Igualdade.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

O presidente Michel Temer viajou a São Paulo para se reunir com seu advogado
Uma mulher tentou invadir o Palácio do Jaburu em Brasília
Deixe seu comentário
Pode te interessar