Domingo, 31 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Mostly Cloudy

Mundo Passageiro dorme no Uber e acorda com uma corrida de mais de 7 mil reais

Compartilhe esta notícia:

Empresa alega que passageiros bloqueados no México viajaram com colaboradores que transportaram o possível infectado. (Foto: Divulgação/Uber)

Imagine tirar um cochilo durante uma corrida de Uber e acordar a mais de 160 quilômetros do seu destino final, com uma conta de mais de R$ 7 mil a pagar. Foi o que aconteceu com o DJ Chris Reed, na Inglaterra. O passageiro solicitou um carro no aplicativo de transportes para ir de Fulham a Croydon, na região da Grande Londres. Entretanto, acabou dormindo durante a viagem e, quando acordou, a corrida estava no valor de 1,4 mil libras esterlinas (o equivalente a R$ 7,3 mil).

O percurso solicitado por Reed, que tinha aproximadamente 16 quilômetros e deveria demorar menos de uma hora de carro, foi estendido pelo motorista por quase cinco horas e meia. O DJ afirma que foi parar em Lincolnshire, na região de Midlands, a mais de 160 quilômetros de Croydon, que era o destino correto. No total, ele rodou mais de 480 quilômetros.

Após tentativas sem sucesso de entrar em contato com a Uber, o passageiro usou o Twitter para relatar o caso e tentar o reembolso da corrida. “Passei esta semana tentando obter respostas da Uber sobre como meu motorista conseguiu cruzar metade do Reino Unido enquanto eu cochilava pensando que estava indo de Fulham para Croydon”, escreveu Reed. Segundo ele, o condutor não deu “um pio” durante o trajeto.

“Não beba se vai dirigir, mas também não beba e entre em um Uber, porque isso pode acontecer com qualquer um. Se eu sou forçado a pagar essa tarifa ridícula em sua totalidade, espero pelo menos salvar as pessoas que estão lendo isso de passarem por uma situação semelhante”, acrescentou.

Nos tweets em resposta ao post original, Reed registra suas tentativas de contato com a empresa. O caso, no entanto, ainda não foi solucionado. “Podemos garantir que nossa equipe está trabalhando para revisar isso o mais rápido possível e entraremos em contato assim que uma atualização estiver disponível por e-mail ou no próprio aplicativo. Agradecemos sua paciência enquanto trabalhamos nisso”, respondeu o perfil oficial da Uber no último domingo (13).

Golpe

Você usa o Uber ou o 99 para se locomover pela cidade? Se a resposta for sim, é preciso ter cuidado com um golpe que, apesar se não ser exatamente novo, tem ganhado cada vez mais força. Motoristas estão burlando o GPS do aplicativo para deixar as corridas mais caras, em um golpe chamado de Treme Treme. Mas não para por aí: após serem punidos pela plataforma, os golpistas compram contas falsas para continuarem pegando passageiros e ganhando dinheiro. Em uma outra modalidade, eles conseguem “furar a fila” e pegar corridas nos aeroportos com mais facilidade.

No YouTube, motoristas dos aplicativos já postaram vídeos denunciando o esquema praticado por outros. Segundo os depoimentos, para tornar as corridas mais caras, os motoristas burlam o GPS do próprio aplicativo para que as viagens pareçam fazer um trajeto maior do que o necessário. Nas redes sociais, há relatos de corridas que saíram quase quatro vezes mais caras do que o orçado pelo aplicativo.

O esquema polêmico se dá de forma simples e só funciona se o celular do motorista for Android, por um recurso que é nativo do smartphone e do sistema operacional. Apesar de poder notar que o caminho está mais longo do que o comum, o passageiro não consegue perceber o golpe efetivamente, uma vez que o motorista está seguindo o caminho indicado pelo GPS.

Após encerrada a corrida, quando os passageiros reclamam os valores excessivos e entram em contato com as empresas, os motoristas são punidos. Assim, a conta do fraudador, na Uber, fica negativa e as corridas que entrarem servirão para abater a dívida. O jeito encontrado de burlar os descontos, é comprar contas falsas. Para isso, o motorista consegue, inclusive em grupos no Facebook, comprar aparelhos celulares com o aplicativo de motorista já logados em uma conta com dados de terceiros. Dessa forma, é possível continuar pegando e fraudando corridas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Condenados que já cumpriram sua pena poderão ser jurados na Califórnia
Ministra quer que agressor de mulher fique sem exercer funções públicas por cinco anos
Deixe seu comentário
Pode te interessar