Segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Partly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Pedidos de refúgio de venezuelanos no Brasil crescem 136%

Compartilhe esta notícia:

O aumento deve-se ao esfacelamento político, econômico e institucional na Venezuela. (Foto: Agência Brasil.)

O número de solicitações de refúgio recebidas pelo Brasil mais do que dobrou no último ano, de 33,8 mil em 2017, para 80 mil em 2018. O aumento deve-se ao esfacelamento político, econômico e institucional na Venezuela.

Cerca de 61,6 mil pessoas solicitaram proteção do lado de cá da fronteira no ano passado, segundo o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), que divulgou nesta quarta-feira (19), um dia antes do Dia Mundial do Refugiado, seu relatório Global Trends – Forced Displacement in 2018, o mais importante documento sobre a situação de populações deslocadas em razão de guerras, perseguições políticas e questões econômicas.

Considerando os requerimentos em todo o mundo, os venezuelanos foram os que mais pediram refúgio em 2018, com 341,8 mil pedidos. É bem mais do que os afegãos, por exemplo, que aparecem em segundo lugar, com 107,5 mil solicitações. Apesar do aumento considerável de pedidos de refúgio ao Brasil, o país não é o principal destino dos venezuelanos, que preferem Colômbia, Peru, Chile, Equador e Argentina.

O relatório das Nações Unidas informa que o fechamento de fronteiras, determinado pelo regime de Nicolás Maduro, em fevereiro, obrigou os venezuelanos a buscarem rotas “irregulares e perigosas”, expondo-os a zonas infestadas por grupos armados e guerrilhas. A fronteira com o Brasil, em Roraima, foi reaberta em maio. Com a Colômbia, a passagem passou a ser permitida de novo em junho.

Os números do êxodo venezuelano provavelmente são ainda maiores, porque nem todos que deixam o país vizinho oficializam o pedido de refúgio. O próprio Acnur informa que meio milhão de pessoas fizeram a solicitação desde 2015 – embora expressivo, esse dado é bem menor do que os 4 milhões de venezuelanos que saíram da nação desde 2015, segundo o próprio órgão.

Síria 

Em nível global, o relatório aponta um recorde histórico. Nos últimos 70 anos, nunca houve tantas pessoas obrigadas a deixar suas casas por causa de guerras ou perseguições por etnia, posições políticas, religião ou orientação sexual. Em 2018, havia 70,8 milhões de seres humanos nessas condições.

É mais do que seis vezes a população do Rio Grande do Sul. Ou, para efeito de comparação, como se as pessoas que vivem nos Estados do sul do Brasil e em São Paulo tivessem que se mudar inteiramente para outro país em razão de perseguições. Do total, 58,3% estão deslocadas dentro de seus próprios países, são os chamados deslocados internos.

tags: Brasil

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

A exportação de carros brasileiros vai despencar este ano por causa da Argentina
Bolsonaro já não esconde que é candidato à reeleição
Deixe seu comentário
Pode te interessar