Quinta-feira, 09 de dezembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Partly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Variedades Polícia diz que arma de Alec Baldwin que matou diretora disparou bala de chumbo

Compartilhe esta notícia:

Polícia foca na sequência exata dos acontecimentos que permitiram a entrada de munição real no set de 'Rust'. (Foto: Reprodução)

O ator Alec Baldwin disparou uma pistola Colt carregada com uma bala de chumbo no tiro acidental da semana passada que matou uma diretora de fotografia no set de seu filme Rust, gravado no Estado norte-americano do Novo México, disseram as autoridades nesta quarta-feira (27).

O xerife do condado de Santa Fé, Adan Mendoza, e a procuradora Mary Carmack-Altwies realizaram uma coletiva de imprensa seis dias após Baldwin atirar e matar acidentalmente a diretora de fotografia Halyna Hutchins durante um ensaio de uma cena dentro de uma igreja no local das filmagens no Novo México.

Ninguém foi acusado. Mendoza e Carmack-Altwies afirmaram ser muito cedo para discutir as acusações, mas disseram que as acusações serão apresentadas caso sejam justificadas.

“Ninguém foi descartado neste momento”, disse Carmack-Altwies referindo-se a possíveis acusações. Ela disse que a investigação ainda não foi concluída.

As autoridades têm a arma de fogo usada no incidente, segundo o xerife. Mendoza disse que munições aparentemente reais foram encontradas no set, mas serão submetidas a testes por especialistas em balística. O xerife disse que Baldwin cooperou com a investigação.

O acidente provocou ondas de choque em Hollywood, desencadeando um debate sobre protocolos de segurança no cinema e na televisão – incluindo se certos tipos de armas usadas como adereços devem ser proibidas – e as condições de trabalho em produções de baixo orçamento.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Variedades

Minas Tênis Clube rescinde contrato com o jogador de vôlei Maurício Souza após comentários homofóbicos
Embraer testa rotas de “carro voador”
Deixe seu comentário
Pode te interessar