Terça-feira, 26 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Mostly Cloudy

Economia A produção industrial brasileira subiu 0,5% em fevereiro, acima do esperado pelo mercado

Compartilhe esta notícia:

Apesar do começo de ano positivo, setor ainda acumula perda de 1,2% em 12 meses

Foto: Reprodução
Apesar do começo de ano positivo, setor ainda acumula perda de 1,2% em 12 meses.(Foto: Reprodução)

A produção industrial brasileira cresceu 0,5% em fevereiro, na comparação com janeiro, marcando o segundo avanço mensal consecutivo, conforme divulgou nesta quarta-feira (1º) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Na comparação com fevereiro do ano passado, porém, houve queda de 0,4%. Já a atividade industrial de janeiro foi revisada de uma alta de 0,9% para avanço de 1,2% frente a dezembro. Apesar do começo de ano positivo, o setor industrial ainda acumula perda de 1,2% em 12 meses.

“É o segundo avanço após uma queda importante nos dois últimos meses de 2019. Mas o saldo desse período ainda é negativo, pois os resultados de novembro e dezembro acumulam -2,5%”, destacou o gerente da pesquisa, André Macedo.

15 dos 26 ramos industriais têm alta

Dentre os 26 ramos da atividade industrial pesquisados, 15 tiveram alta em fevereiro, com destaque para a produção de veículos (2,7%) e outros produtos químicos (2,6%) e farmoquímicos e farmacêuticos (3,2%).

“Automóveis e caminhões ajudam a explicar esse resultado no começo do ano, depois da perda do ano passado. Houve férias coletivas em novembro e dezembro, e com a volta da produção nos primeiros meses de 2020, é natural que representem impulso de crescimento”, explicou o pesquisador do IBGE.

Entre os ramos que tiveram produção reduzidas, o que mais pressionou o índice foi o de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (1,8%), em fevereiro. Também impactaram negativamente o resultado geral da indústria no mês os segmentos de equipamento de informática, eletrônicos e ópticos (-5,8%) e outros equipamentos de transporte (-8,7%).

Impactos do coronavírus e perspectivas

Apesar da melhora do ritmo de recuperação da indústria nos primeiros meses de 2020, economistas avaliam que a economia brasileira corre o risco de voltar a entrar em recessão diante do abalo provocado pelo coronavírus na economia doméstica e global.

Pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) divulgada nesta quarta pelo IHS Markit aponta que a indústria registrou contração em março. O PMI da indústria caiu para 48,4 pontos, ante 52,3 no mês anterior, de acordo com dados coletados entre 12 e 24 de março de 2020 e que apontam a queda mais acentuada no desempenho do setor industrial desde fevereiro de 2017.

Pesquisa divulgada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostrou que a pandemia do novo coronavírus causou uma queda na demanda por produtos e serviços industriais para 79% das empresas, sendo que 53% delas relatam uma “queda intensa”.

De acordo com o boletim Focus divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central, o mercado financeiro passou a projetar retração de 0,48% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020. Já a previsão dos analistas para a produção industrial no ano é de um crescimento de 0,85%.

Em 2019, segundo dados do IBGE, o PIB cresceu 1,1%. Foi o desempenho mais fraco em três anos. Já a indústria cresceu 0,5% no ano passado, mantendo o mesmo ritmo registrado em 2018.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Começa a vacinação domiciliar a idosos com mais de 80 anos em Porto Alegre
Na Europa, mortes por coronavírus já passam de 30 mil; Os Estados Unidos têm mais de 4 mil vítimas
Deixe seu comentário
Pode te interessar