Segunda-feira, 10 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Mostly Cloudy / Wind

Economia Quase metade dos trabalhadores viram a sua renda diminuir ou acabar na pandemia

Compartilhe esta notícia:

De acordo com o levantamento, 32% dos entrevistados observaram uma queda na renda obtida pelo salário, e 14% uma perda total

Foto: Ricardo Giusti/PMPA
De acordo com o levantamento, 32% dos entrevistados observaram uma queda na renda obtida pelo salário, e 14% uma perda total. (Foto: Ricardo Giusti/PMPA)

Uma pesquisa divulgada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) nesta quarta-feira (28) mostrou que 46% dos trabalhadores viram a renda diminuir ou acabar durante a pandemia provocada pelo coronavírus.

De acordo com o levantamento, 32% dos entrevistados observaram uma queda na renda obtida pelo salário, e 14% uma perda total. Para 41%, a renda ficou estável, e 10% registraram um aumento. Para os próximos meses, 3% dos trabalhadores esperam uma perda total da renda, 9% projetam uma redução parcial e 83% acreditam que não haverá mudança.

Recuperação só em 2022

O levantamento também apontou que 71% dos brasileiros acreditam que a economia só deve se recuperar no ano que vem dos efeitos da pandemia de coronavírus. A pesquisa ainda apurou que 70% dos entrevistados dizem que o impacto da pandemia na atividade econômica tem sido muito grande. Para 20%, tem sido grande.

A pesquisa divulgada pela CNI – batizada de Os brasileiros, a pandemia e o consumo – foi realizada pelo Instituto FSB Pesquisa. Esta é a terceira edição do levantamento. Foram entrevistadas 2.010 pessoas por telefone entre 16 e 20 de abril. A margem de erro do estudo é de dois pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.

Redução de gastos

Com um cenário tão adverso, 71% dos entrevistados dizem ter reduzido seus gastos desde o início da pandemia. Entre os motivos apontados, estão: 30% perderam parte ou toda renda; 38% se dizem inseguros quanto ao futuro; e 27% alegam o fechamento do comércio. Segundo o levantamento, 37% dizem que essa redução será permanente.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Caixa Econômica Federal paga primeira parcela a nascidos em novembro
Senado aprova extensão de validade de prescrição médica para gestantes
Deixe seu comentário
Pode te interessar