Quinta-feira, 02 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Partly Cloudy

Notícias Quase quatro meses depois, a Polícia Civil prendeu um homem que jogou ácido em cinco pessoas na Zona Sul de Porto Alegre

Compartilhe esta notícia:

Investigação levou a um empresário paranaense que alegou motivação inusitada para os ataques. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Agentes da 13ª DP (Delegacia de Polícia) de Porto Alegre e da Dipac (Divisão de Inteligência Policial e Análise Criminal), ligadas ao DPM (Departamento de Polícia Metropolitana), prenderam preventivamente um homem de 48 anos, suspeito de ter jogado ácido sulfúrico em pelo menos cinco pessoas na Zona Sul da capital gaúcha. A série de ataques foi registrada em junho.

Segundo a delegada Adriana Regina da Costa, diretora do DPRM, trata-se do empresário Wanderlei da Silva Camargo Júnior, residente em Curitiba (PR), onde a captura foi realizada na última sexta-feira com apoio de investigadores do Copa (Centro de Operações Policiais Especiais) do Paraná. Na residência dele foram apreendidos objetos e substâncias que passarão por análises periciais.

Em depoimento extraoficial, o indivíduo argumentou que o motivo dos atentados com ácido seria criar uma ideia de que Porto Alegre é uma cidade perigosa para mulheres e, com isso, criar um clima de terror, a fim de convencer a ex-companheira a morar com ele na capital paranaense, supostamente mais segura. O casal já está separado e ela obteve uma medida protetiva contra o empresário.

“Foi realizado um minucioso trabalho de investigação para chegar ao criminoso”, ressaltou a delegada. “Imagens de circuitos de segurança de casas e prédios próximos aos locais dos ataques foram exaustivamente analisadas, permitindo identificar que os três veículos utilizados nos atentados [entre os dias 15 e 25 de junho] eram alugados e com placa fria, inserida pelo homem para despistar a polícia.

Ao todo, foram cinco investidas. As vítimas – a maioria mulheres – teriam sido escolhidas aleatoriamente pelo empresário. A primeira foi atacada na noite 19 de junho, na rua Santa Flora (bairro Nonoai) e relatou à Polícia Civil que o agressor utilizava uma bicicleta. Ele também teria arremassado no pátio de uma casa da área uma pedra com mensagem conclamando outras pessoas a também lançarem ácido em outras.

Os outros quatro incidentes ocorreram na manhã do dia 21, uma sexta-feira, entre 6h30min e as 7h30min. Os dois primeiros foram relatados na rua Francisca Bolognese (bairro Hípica) e os demais na rua Santa Flora. Em todos os casos, a substância corrosiva danificou roupas e causou queimaduras com maior ou menor grau de gravidade, conforme a situação.

Transporte coletivo

Inaugurada neste ano em um prédio no bairro Menino Deus, a DRTC (Delegacia de Polícia Especializada na Repressão a Roubos em Transporte Coletivo) divulgou a sua mais recente ação: a captura de um indivíduo suspeito de assaltar um ônibus na avenida João Pessoa (área central de Porto Alegre) na última sexta-feira.

Ele possui antecedentes criminais por dano ao patrimônio público, roubo a pedestre, receptação e tráfico de drogas, crime que motivou a sua prisão, por porte várias pedras de crack. Ele vinha sendo monitorado e acabou entrando na mira da Polícia Civil e Brigada Militar, mediante o compartilhamento de dados entre as forças de segurança pública.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Menino de 10 anos morre vítima de meningococcemia em Caxias do Sul
Marchezan participa de reunião da Frente Nacional dos Prefeitos
Deixe seu comentário
Pode te interessar