Sexta-feira, 23 de julho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Agro Safra de inverno deste ano deve obter recorde no Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

Principal produto da estação, o trigo deverá ter uma produção de 2,89 milhões de toneladas

Foto: Deise Froelich/Emater
Principal produto da estação, o trigo deve ter uma produção de 2,89 milhões de toneladas. (Foto: EBC)

O Rio Grande do Sul deve obter, na safra de 2021, a maior produção de inverno da sua história, chegando a 3,7 milhões de toneladas de trigo, cevada, canola e aveia branca. A projeção foi detalhada nesta quarta-feira (23) pela sucursal gaúcha da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

Em entrevista coletiva on-line, o diretor técnico da instituição, Alencar Rugeri, apresentou as estimativas dos principais grãos de inverno, que serão cultivados em 1,49 milhão de hectares, com previsão de 3,7 milhões de toneladas. Isso representa um aumento de 10,8% em área e de 32,5% em produção no que se refere ao desempenho do ano passado.

Principal produto da estação, o trigo deverá ter uma produção de 2,89 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 37,81% em relação ao ano passado, que foi de 2,1 milhões de toneladas.

Cultivado em uma área de 1,08 milhão hectares, 13,29% a mais do que na safra passada, que foi de 953,8 mil hectares, o grão apresenta tendência de produtividade média de 2,6 toneladas/hectare, 21,6% a mais do que a média da safra anterior, que foi de 2,2 toneladas/hectare.

Com produção concentrada nas regiões de Ijuí (303,4 mil hectares), Santa Rosa (259,6 mil hectares) e Frederico Westphalen (135,3 mil hectares), o trigo chama a atenção também pelo aumento de 104,9% em área a ser cultivada na região de Pelotas, passando de 4,8 mil hectares na safra passada para 9,9 mil hectares na atual.

Outro destaque fica por conta do aumento expressivo na produção da canola. Cultivada em 40,1 mil hectares, 15,73% a mais do que no ano anterior, deverá ter uma produção de 52,6 mil toneladas, o que representa 55,7% a mais do que na safra passada, refletindo no aumento de 34,5% na produtividade, que deve chegar a 1,3 tonelada/ hectare, contra menos de uma tonelada na safra passada.

Avaliação

“Essa boa expectativa se deve a estarmos vindo de uma supersafra de verão, que trouxe uma capitalização importante para nossos agricultores, para nossos pecuaristas, para o produtor rural como um todo”, avalia o presidente da Emater no Rio Grande do Sul, Geraldo Sandri. Ele acrescenta que:

“A previsão de uma safra de inverno robusta e de uma condição climática positiva para os próximos meses leva em consideração não só a capitalização, mas também o ânimo dos agricultores com esses recursos da safra de verão. Também os preços em um patamar bom e elevado, a tecnologia que vem chegando ao longo dos anos, o acesso à assistência técnica, todo o planejamento e profissionalismo são responsáveis por essa estimativa de uma supersafra de inverno”.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Agro

Em uma década, a mortalidade infantil caiu 5% no Rio Grande do Sul
Rio Grande do Sul inicia debate sobre regionalização do saneamento básico
Deixe seu comentário
Pode te interessar