Domingo, 05 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Cloudy

Ciência Sonda da Nasa registra fotos de avalanche em Marte

Compartilhe esta notícia:

O fenômeno ocorreu após blocos de gelo gigantes caírem de um penhasco de 500 metros no polo norte marciano. (Foto: Nasa/Divulgação)

Uma imagem impressionante da sonda Mars Reconnaissance Orbiter, da Nasa (agência espacial norte-americana), mostra uma avalanche de poeira vermelha que tomou o polo norte de Marte em maio deste ano.

O fenômeno foi registrado com a câmera HiRISE (High-Resolution Imaging Science Experiment), um equipamento de 65 quilos a bordo da sonda da Nasa. O objetivo da Mars Reconnaissance Orbiter é principalmente procurar vestígios de água no Planeta Vermelho.

Desta vez ela flagrou blocos de gelo gigantes caindo de um penhasco marciano de 500 metros. O impacto da queda formou a avalanche, levantando poeira que se aglomerou em formato de nuvem.

Em nota do Laboratório Lunar e Planetário da Universidade do Arizona, a pesquisadora Candy Hansen explicou que durante todas as primaveras em Marte o Sol brilha sob depósitos de camadas polares no norte do planeta. “O calor [do Sol] desestabiliza o gelo e os blocos se quebram”, contou Hansen.

Como em Marte as estações duram o dobro daquelas que ocorrem na Terra, a primavera no Hemisfério Norte marciano está ocorrendo desde março. A estação acabará em breve após um solstício de verão, quando o Sol atinge a maior declinação em latitude, no dia 8 de outubro.

A sonda Mars Reconnaissance Orbiter permanecerá em Marte ainda por várias estações, já que cientistas da Nasa pretendem deixá-la funcionando até pelo menos 2025. O equipamento foi lançado em 2005 e tem analisado água, minerais e o clima de Marte nos últimos anos.

Asteroide

As agências espaciais norte-americana e europeia, Nasa e ESA, trabalham juntas para evitar que a Terra seja atingida pelo asteroide Didymos, que poderia destruir o planeta. Denominada como Missão DART (Double Asteroid Redirection Test), os trabalhos terão uso de equipamento para provocar um impacto cinético e alterar a trajetória do asteroide. Essa rocha teria cerca de 160 metros comprimento e 780 metros de diâmetro.

O lançamento da Missão DART será em julho de 2021 a bordo de um foguete da SpaceX. A fase da ação acontecerá em setembro de 2022, quando o equipamento irá interromper a lua do Didymos, a 11 milhões de quilômetros da Terra. Com a colisão entre DART e Didymos, haverá mudança mínima da rota do asteroide, mas será o suficiente para impedir uma ameaça real de impacto contra a Terra.

A agência especial europeia ESA terá missão nomeada AINDA, (Asteroid Impact & Deflection Assessment), que enviará a nave espacial Hera, para acompanhar o asteroide após o impacto e ajudar no monitoramento da trajetória.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Cientistas encontram mensagem “invisível” em antigo papiro egípcio
Pensando em engravidar? Confira sete alimentos que ajudam na fertilidade
Deixe seu comentário
Pode te interessar