Domingo, 28 de Fevereiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Showers in the Vicinity

Brasil Surto de microcefalia faz o mundo olhar o Brasil perto da Olimpíada

Compartilhe esta notícia:

O epicentro das suspeitas de microcefalia associadas ao vírus está no Brasil, também motivo de preocupação por ser a sede da Olimpíada. (Foto: Bruno de Lima/AE)

No início do ano passado, por ter sintomas parecidos com os da dengue, ela chegou a ser chamada de “doença misteriosa”. À época, quando os primeiros casos foram identificados, o Ministério da Saúde tratou-a como uma infecção benigna, com sintomas brandos: manchas na pele, coceira e febre baixa ou ausência de febre.

Agora, associada a um surto de microcefalia em recém-nascidos, a zika virou motivo de pânico tanto para mulheres grávidas como para aquelas com seus bebês de colo com a suspeita de má-formação da cabeça.

Em Pernambuco, epicentro da epidemia, é possível encontrar mães desassistidas e uma estrutura precária de atendimento às crianças.

Transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, vetor também da dengue, da febre amarela e da chicungunya, o vírus da zika circula em 28 países de diferentes partes do mundo, o que levou a OMS (Organização Mundial da Saúde) a decretar situação de emergência internacional.

O epicentro das suspeitas de microcefalia associadas ao vírus está no Brasil, também motivo de preocupação por ser a sede da Olimpíada, a realizar-se em agosto, na cidade do Rio de Janeiro.

Com o aumento de casos de microcefalia em recém-nascidos no Brasil, governos de quatro países da América Latina e do Caribe (Colômbia, El Salvador, Equador e Jamaica), onde o vírus do zika já circula, passaram a recomendar que se evite engravidar. (Folhapress)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Preço dos alimentos mais do que dobram em dez anos
Ministro do Esporte critica notícias sobre cancelamento das Olimpíadas no Rio por causa do zika vírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar