Domingo, 23 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Partly Cloudy

Capa – Destaques UFRGS afirma que atingiu níveis orçamentários críticos e alerta para consequências gravíssimas

( Foto: Gustavo Diehl/UFRGS-Arquivo)

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) divulgou, nesta quinta-feira (6), uma nota em que atualiza a situação da instituição em meio a sérios problemas financeiros com o contingenciamento de verbas orçamentárias pelo governo federal.  A instituição atingiu “níveis orçamentários críticos” e, não havendo o desbloqueio integral das verbas de custeio, as consequências devem ser “gravíssimas”, pela inviabilização de realizar “despesas básicas de funcionamento e manutenção operacional”.

Na nota, a instituição de ensino explica ao público como era previsto o orçamento de 2019, onde foram estimados cerca de R$175 milhões em recursos provenientes do Tesouro Nacional. A verba é destinada para financiamento das despesas de custeio (consideradas despesas básicas e pagamento de terceirizados) e de capital. Desse total inicialmente aprovado, o orçamento de custeio era de quase R$167 milhões e o de capital de cerca de R$9 milhões. Em março, o governo federal bloqueou 30% da parte de custeio, que corresponde a cerca de R$50 milhões. Com relação ao capital, foram bloqueados cerca de R$5,8 milhões.

Ainda no comunicado, a UFRGS salientou que o orçamento da instituição já vem sendo reduzido desde 2016. “Há dificuldades para manter em dia os pagamentos das despesas de custeio, quer pela redução em si no repasse de verbas, quer porque as liberações de limites para empenhar os créditos orçamentários e viabilizar os pagamentos dos gastos ocorrem em ritmo ditado pelo Ministério da Economia, o que nem sempre está sincronizado com as rotinas dos compromissos financeiros da Universidade. Além disso, a maior parte dos débitos do mês-competência dezembro do ano anterior é paga com orçamento do ano corrente, em função das restrições orçamentárias”, detalhou a universidade.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Destaques

Governo federal prepara ampliação da reforma trabalhista e quer fim da unicidade sindical
“Se não confiarem em mim, mais cedo o PT volta”, diz Bolsonaro
Deixe seu comentário
Pode te interessar