Terça-feira, 07 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Light Rain

Mundo Um dos homens mais poderosos do Vaticano é condenado por abuso sexual infantil

Compartilhe esta notícia:

O cardeal George Pell: casos de abuso sexual analisados pelo júri ocorreram na década de 1990. (Foto: Reprodução)

O cardeal George Pell, que já foi o terceiro homem mais poderoso do Vaticano e católico mais graduado da Austrália, foi considerado culpado de abuso sexual infantil após um julgamento em Melbourne.

Um júri proferiu o veredicto unânime em 11 de dezembro no tribunal de condado de Melbourne, mas o resultado foi sujeito a uma “ordem de supressão” e não pôde ser relatado até esta segunda-feira, e só agora revelado. Um julgamento sobre o mesmo caso já havia sido iniciado em agosto.

Pell, de 77 anos, ex-tesoureiro da Santa Sé, foi considerado culpado de abusar sexualmente de cinco menores com menos de 16 anos de idade entre 1996 e 1997 na Catedral de St Patrick, em Melbourne, onde era arcebispo.

O Papa Francisco, que já elogiou Pell por sua honestidade e combate ao abuso sexual infantil, ainda não reagiu publicamente ao julgamento. No entanto, dois dias após o veredicto não declarado em dezembro, o Vaticano anunciou que três cardeais, entre eles Pell, foram removidos do grupo de conselheiros do Pontífice.

Pell comandou por três anos a Secretaria de Economia da Santa Sé, e tinha a missão de supervisionar as finanças e erradicar a corrupção no Vaticano. Era, assim, um dos religiosos mais influentes na cúpula de Francisco.

O caso Pell tem origem nas investigações de uma unidade especial da polícia de Victoria a partir de informações de uma comissão parlamentar. Segundo dados da investigação publicados em fevereiro, 7% dos padres católicos eram suspeitos de abuso sexual contra menores na Austrália entre 1950 e 2010, mas jamais foram oficialmente denunciados.

No total, mais de 4 mil supostos incidentes foram relatados às autoridades eclesiásticas e, em algumas dioceses, até 15% dos padres acabaram envolvidos em denúncias de abusos.

Investigação

A Igreja Católica vinha, há anos, enfrentando acusações em todo o mundo relacionadas a casos de abusos sexuais cometidos por padres e bispos.

A condenação confirma que os abusos chegaram aos mais altos escalões da Santa Sé.

Antes de ser condenado, Pell chegou a ser acusado de encobrir abusos sexuais de crianças cometidos por padres.

As acusações na Austrália surgiram após a criação de uma comissão, pelo governo em 2012, para investigar todas as instituições do país em que havia acesso a crianças e analisar as respostas dessas instituições ao abuso infantil.

O cardeal de 77 anos poderá ter de trocar o Palácio Apostólico por uma cela de prisão.

Seu mandato de cinco anos como Prefeito da Secretaria da Economia expirou em 24 de fevereiro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Morre um dos patronos do ambientalismo no Brasil
Os altos riscos de uma intervenção militar na Venezuela
Deixe seu comentário
Pode te interessar