Quarta-feira, 02 de Dezembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Notícias Projeto para uso de energia solar avança em seis escolas municipais de Porto Alegre

Compartilhe esta notícia:

Geração de energia solar é incentivada no País. (Foto: Divulgação)

Ao longo desta semana, seis escolas municipais de Porto Alegre receberam a visita de profissionais da Agência Alemã de Cooperação Internacional, parceira da prefeitura em um projeto voltado para a viabilização de investimentos em energia solar na rede municipal de ensino. A iniciativa também conta com o apoio do Banco Europeu de Investimento.

Com um orçamento estimado em aproximadamente R$ 50 milhões, a serem captados via financiamento externo, a meta é estender a ideia a todas as 99 escolas administradas pelo Executivo, a fim de que se tornem autossuficientes, durante o expediente diurno, por meio de dispositivos fotovoltaicos.

Após o estudo inicial, as vistorias agora servem para verificar especificações técnicas, em conformidade com o projeto básico. A análise também envolve a coleta de dados relativos a itens como o padrão de consumo, assegurando assim maior eficiência na execução do projeto.

A conclusão do projeto está prevista para até dezembro e as placas devem ser instalados a partir do ano que vem. O “Projeto de Eficiência Energética nas Escolas Municipais” é coordenado pela Secretaria Municipal de Relações Institucionais de Porto Alegre e integra o programa de cooperação entre a prefeitura da capital gaúcha e a Alemanha, iniciado em 2018.

Instituições visitadas

O roteiro contemplou instituições de ensino com diferentes características. A primeira visita ocorreu terça-feira, na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) José Loureiro da Silva, no bairro Cristal (Zona Sul), com 848 alunos. Em seguida, a comitiva técnica esteve na Emef de Surdos Bilíngüe Salomão Watnick, no Partenon (Zona Leste), com 48 alunos.

Na quarta-feira, técnicos contratados pelo Felicity Financing Energy for Low-Carbon Investment Cities Advisory Facility (Assistência Técnica a Cidades para Financiamentos de Investimentos em Baixa Emissão de Carbono) começaram o itinerário pela Emef Antônio Giúdice, no bairro Humaitá (Zona Norte).

Com 963 alunos, a escola participou de um projeto-piloto em 2016 e já conta com dez painéis fotovoltaicos doados pela rede Iclei, entidade global de sustentabilidade. Desde então, contabiliza uma economia de 10% na conta de luz e é candidata a receber um segundo lote, completando a ocupação de todo o telhado.

As demais escolas visitadas foram a Liberato Salzano Vieira da Cunha, no bairro Sarandi (Zona Norte), uma das maiores instituições da rede, com 1.044 estudantes que vão desde a educação infantil até o ensino profissional, além da Emef Morro da Cruz (Zona Leste), que atende 1.022 alunos, e da Emef Nossa Senhora de Fátima, na Vila Divineia (Zona Norte), com 722 alunos.

De acordo com o secretário municipal de Educação, Adriano Naves de Brito, o apoio da consultoria internacional, disponibilizada sem custos à prefeitura, é central para a busca dos recursos. “Eles têm a expertise necessária para auxiliar na construção de um projeto elegível para a busca de recursos”, ressaltou. “Além do ganho ambiental, há o viés pedagógico, com o envolvimento de professores e alunos no controle das medições, integrando também os conteúdos de disciplinas como Matemática e Física.”

Ainda segundo ele, existe a possibilidade de que o excedente energético dessas estruturas seja transferido para outros prédios, com reinvestimento de recursos nas próprias instituições, contemplando outras demandas. “Outra vantagem é que, para a devida adequação técnica, o projeto permitirá custear a execução de melhorias necessárias nas próprias redes elétricas das escolas”, acrescenta.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Alerta para quem procura por procedimentos estéticos
Funcionários de obra violaram proibição de não fumar na catedral de Notre-Dame
Deixe seu comentário
Pode te interessar