Segunda-feira, 13 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

Mundo Uma agência divulgou a imagem do passaporte brasileiro usado fraudulentamente pelo ditador da Coreia do Norte

Compartilhe esta notícia:

Cópia de passaporte brasileiro autêntico obtido por Kim Jong-un de forma fraudulenta. (Foto: Reprodução)

A agência de notícias Reuters divulgou nesta terça-feira (27) a imagem de uma cópia do passaporte brasileiro usado por Kim Jong-un, quando o atual líder da Coreia do Norte ainda era uma criança, nos anos 1990. Os dois documentos teriam sido emitidos em Praga (República Tcheca). Fontes de segurança da Europa disseram à agência que ele e seu pai, Kim Jong-il, usaram passaportes brasileiros falsos para viajar a países do Ocidente naquela década. As informações são do jornal O Globo.

O líder norte-coreano e seu pai usaram os documentos, emitidos de forma fraudulenta, para solicitar vistos a fim de visitar outros países. A informação foi confirmada por cinco fontes europeias de segurança à Reuters. Apesar de haver indícios de que a família que governa a Coreia do Norte já havia usado documentos de viagem obtidos de forma irregular, há poucos exemplos específicos até o momento. As cópias dos passaportes brasileiros reproduzidas pela Reuters nunca haviam sido publicadas.

“Eles usaram esses passaportes brasileiros, que claramente mostram fotos de Kim Jong-un e Kim Jong-il, para tentar obter vistos de embaixadas estrangeiras”, disse uma alta fonte de segurança ocidental, sob condição de anonimato. “Isso mostra seu desejo de viajar, e indica tentativas da família governante de construir uma possível rota de fuga.”

A embaixada da Coreia do Norte no Brasil se recusou a comentar.

O Ministério das Relações Exteriores informou que está investigando o caso. Uma fonte brasileira, que também falou sob a condição de anonimato, disse que os dois passaportes em questão eram documentos legítimos quando enviados em branco para a emissão em consulados. Outras quatro fontes de segurança europeias confirmaram que os dois passaportes com fotos dos Kim apresentando os nomes de Josef Pwag e Ijong Tchoi foram utilizados para solicitar vistos em ao menos dois países ocidentais. Não ficou claro se os vistos foram obtidos.

Os passaportes também podem ter sido usados para viagens a Brasil, Japão e Hong Kong, de acordo com fontes de segurança.

Em 2011, o jornal japonês “Yomiuri Shimbun” informou que, ainda criança, Kim Jong-un visitou Tóquio em 1991 usando um passaporte brasileiro – antes da data de emissão impressa nos dois passaportes vistos pela Reuters. Na ocasião, o ditador, que tinha cerca de 8 anos, passou-se por Joseph Pak. Ele e o irmão, Kim Jong-chol, teriam obtido os vistos em Viena. Os serviços de segurança japoneses suspeitaram dos documentos, mas quando foi iniciada uma investigação eles já haviam deixado o país.

Tecnologia

Os dois passaportes brasileiros, com dez anos de validade, contêm um carimbo dizendo “Embaixada do Brasil em Praga” e data de expedição de 26 de fevereiro de 1996. As fontes de segurança informaram que tecnologia de reconhecimento facial confirmou que as fotos são de Kim Jong-un e seu pai. O passaporte com a foto do atual líder norte-coreano foi emitido em nome de Josef Pwag, com data de nascimento de 1 de fevereiro de 1983. Sabe-se tão pouco sobre Kim que até mesmo sua data de aniversário é contestada. Ele teria de 12 a 14 anos quando o passaporte foi emitido.

Sabe-se que ele estudou em uma escola internacional de Berna, na Suíça, onde fingia ser filho de um motorista de uma embaixada.

Já o passaporte de seu pai foi emitido em nome de Ijong Tchoi, com data de nascimento de 4 de abril de 1940. Kim Jong-il comandou com mão de ferro a Coreia do Norte de 1994 – após a morte do pai, Kim Il-sung – até morrer, em 2011. Acredita-se que tenha nascido em 1941.

Ambos os passaportes exibem como local de nascimento dos portadores a cidade de São Paulo. A primeira fonte de segurança se recusou a descrever como as cópias dos passaportes foram obtidas, citando regras de sigilo.

A Reuters viu apenas cópias dos documentos, de forma que não foi capaz de discernir se foram adulterados.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

A Suprema Corte dos Estados Unidos determinou que os imigrantes detidos no país não têm direito a uma audiência periódica para pedir a sua libertação condicional
As contas do governo federal tiveram um superávit de 31 bilhões de reais em janeiro, o melhor resultado para esse mês nos últimos 22 anos
Deixe seu comentário
Pode te interessar