Segunda-feira, 13 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Fog

Notícias Uma mulher que usou a internet para ameaçar de morte o prefeito Nelson Marchezan Júnior pode pegar até um ano de prisão

Compartilhe esta notícia:

A CPI para investigar a administração de Marchezan foi instalada pela Câmara de Vereadores. (Foto: Eduardo Beleske/Arquivo/PMPA)

A Polícia Civil gaúcha indiciou, na manhã dessa terça-feira, uma mulher que ameaçou de morte o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, 47 anos, bem como os seus familiares. Se for condenada, ela estará sujeita a até seis meses de prisão, sentença que costuma ser convertida em multa e prestação de serviços à comunidade, por envolver crime de menor potencial ofensivo.

No processo consta um registro de ocorrência, datado de maio, em que o chefe do Executivo municipal denunciou postagens que considerou temerárias, todas na internet. O alvo eram ele, a sua noiva Tainá Vidal e o filho do casal (Benício, nascido em abril), bem como os outros dois meninos que são frutos de relacionamentos anteriores de Marchezan (11 e 2 anos de idade, respectivamente).

De acordo com o delegado da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), Marco Antônio de Souza, a investigação identificou ao menos dez mensagens desse tipo, na página do prefeito na rede social Instagram. Os textos foram postados nos meses de março e abril.

As publicações foram deletadas do ambiente virtual pela autora dos textos. Peritos em segurança digital, no entanto, conseguiram recuperá-las, mediante autorização da Justiça. Aparentemente, as ameaças de morte não apresentavam teor político e eram assinadas com pseudônimo.

A responsável pelas ameaças não teve a sua identidade divulgada. Sabe-se, porém, que ela tem a mesma idade do político tucano e morou na capital gaúcha nos primeiros meses deste ano, antes de se mudar para Goiânia (GO), onde estaria vivendo atualmente. Apesar de não possuir antecedentes criminais, a análise de conteúdos que postou mostra que ela já havia cometido esse tipo de ato anteriormente.

Evento

Segundo a sua assessoria de comunicação, o prefeito não tem intenção de se manifestar sobre o caso. Na manhã dessa terça-feira, ela participou de um café da manhã na sede da Fiergs (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre. Na ocasião, a direção da concessionária Fraport Brasil apresentou um balanço das obras no Aeroporto Internacional Salgado Filho e dos próximos passos da ampliação do terminal.

O reassentamento das famílias da Vila Nazaré para o Loteamento Senhor do Bom Fim, no bairro Sarandi (Zona Norte), também foi pauta do encontro, que contou com a presença de dirigentes das principais entidades empresariais do Estado. No dia 15 de julho, a Justiça determinou a suspensão de uma nova etapa da remoção até que seja realizada uma audiência (nesta quinta-feira).

Marchezan disse aguardar uma posição favorável à continuidade da realocação das famílias que vivem na área: “Se existir alguma dúvida contratual, que isso se resolva depois, mas sem interromper o cumprimento contratual, a obrigação social e a possibilidade de que os investimentos na nossa cidade aconteçam”.

Ele disse, ainda, que não há qualquer justificativa para que eventuais divergências contratuais impeçam a mudança de endereço das famílias e a melhoria de sua qualidade de vida: “A nossa posição é muito clara. Temos interesse global no que esse investimento pode trazer ao Estado e a Porto Alegre, além do interesse social na melhora de vida dessas pessoas que vivem em um local invadido, de risco, sem saneamento”.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Longe dos holofotes, a nova rotina de Joesley Batista
Musas do Miss Bumbum protestam contra Bolsonaro
Deixe seu comentário
Pode te interessar