Segunda-feira, 14 de Junho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fair

Saúde Variante indiana do coronavírus está presente em 44 países, diz a Organização Mundial da Saúde

Compartilhe esta notícia:

A nova cepa do vírus é suspeita de ser um dos aspectos que explicam a segunda onda de casos na Índia. (Foto: Reprodução)

A variante do coronavírus detectada em outubro na Índia, a B.1.617, já foi confirmada em 44 países — 27 novos desde 28 de abril —, de acordo com relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicado nesta semana.

O documento também apontou que “as sub-linhagens da B.1.617, como a B.1.617.1 e B.1.617.2, “parecem ter taxas maiores de transmissão”, com aumento rápido da prevalência já observado em vários países. As evidências científicas são classificadas como “moderadas” e precisam de mais estudos para confirmação definitiva.

Além da Índia, o Reino Unido foi o país que mais relatou casos sequenciados geneticamente da B.1.617 e, recentemente, informou que a B.1.617.2 é uma sub-linhagem preocupante nacionalmente. Na última segunda (10), o órgão de saúde internacional já havia classificado a versão do vírus como “preocupante em nível global”:

“Há informações de que a B.1.617 é mais contagiosa”, mas também existem elementos que permitem pensar que ela atenuaria as respostas dos anticorpos que combatem o vírus e, “portanto, nós a classificamos como uma variante preocupante em nível global”, afirmou a doutora Maria Van Kerkhove, responsável técnica do combate contra a covid-19 na OMS.

Maria ressaltou que faltam pesquisas sobre a variante indiana, principalmente com um sequenciamento genético mais completo “para saber a quantidade” que circula do vírus. Além disso, há a necessidade de investigar qual é o grau de “severidade” da B.1.617 na redução da resposta dos anticorpos contra a doença.

“Não temos nada que sugira que nossos diagnósticos, medicamentos e vacinas não estejam funcionando. E isso é importante”, frisou a cientista, que insistiu na manutenção de medidas sanitárias como o distanciamento social, uso de máscara e redução de contatos.

A nova cepa do vírus é suspeita de ser um dos aspectos que explicam a segunda onda de casos na Índia, que mergulhou em uma grave crise sanitária devido à pandemia da covid-19.

Situação

De acordo com a OMS, a Índia contabiliza, desde o início da pandemia, mais de 23 milhões de casos do Sars CoV-2, que resultaram em mais de 250 mil mortes.

Em março, o governo indiano falou em “fase final da pandemia” e flexibilizou as medidas de combate à covid-19. O governo liberou comícios eleitorais e festivais religiosos mesmo com o aumento de contágios, e agora tem sido duramente criticado. Grandes aglomerações se formaram nas últimas semanas.

No final de abril, o país ultrapassou as 200 mil mortes e se tornou o 4º do mundo a atingir o índice. Estados Unidos, Brasil e México também superaram a triste marca.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

CoronaVac não foi proibida nos Estados Unidos. Agências reguladoras ainda não divulgaram análise da vacina
Vacina polivalente contra o coronavírus protegeu macacos de diversas variantes do vírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar