Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

Economia Venda de veículos novos cresce 4,38% em novembro frente a 2018

Compartilhe esta notícia:

Entre janeiro e novembro deste ano, a venda de todos os segmentos registrou alta de 10,3%, com o total de 3.665.370 veículos novos emplacados.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Carro 0 km vai ficar, na média, pelo menos R$ 2,6 mil mais caro. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Em novembro, a venda de veículos novos no Brasil, considerando-se apenas os automóveis e comerciais leves (picapes e furgões), cresceu 4,38% sobre novembro de 2018, mas com retração de 4,24% ante outubro, com o emplacamento de 230.923 unidades. O dado foi divulgado nesta segunda-feira (2) pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Considerando o emplacamento de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos), houve crescimento de 7,81% em comparação ao mesmo mês do ano passado e queda de 6,05% em relação a outubro, com a venda de 345.386 unidades. Segundo a Fenabrave, a queda em relação a outubro se explica pelo menor número de dias úteis.

“Faltando apenas um mês, para o fechamento do ano, notamos a estabilidade do mercado. Isso é positivo, pois não houve grandes oscilações durante o ano, o que confirma as nossas expectativas para 2019, que deve crescer 10,76% sobre 2018”, disse Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave.

Acumulado do ano

Entre janeiro e novembro deste ano, a venda de todos os segmentos registrou alta de 10,3%, com o total de 3.665.370 veículos novos emplacados. Considerando-se apenas os emplacamentos de automóveis e comerciais leves no acumulado do ano, houve alta de 7,21% sobre o mesmo período do ano anterior, com 2.406.984 unidades licenciadas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Governo quer entender melhor taxa americana ao aço, diz chanceler
O mercado financeiro brasileiro eleva a estimativa de inflação este ano para 3,29%
Deixe seu comentário
Pode te interessar