Quarta-feira, 08 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Light Drizzle

Rio Grande do Sul “Não é só apertar um botão, estamos fazendo um estudo técnico”, diz o vice-governador gaúcho sobre o combate ao coronavírus

Compartilhe esta notícia:

O vice-governador do Estado participou do Pampa Debates.

Foto: Reprodução/ TV Pampa
O vice-governador do Estado participou do Pampa Debates. (Foto: Reprodução/ TV Pampa)

Nesta quarta-feira (27), o Programa Pampa Debates, comandado pelo vice-presidente da Rede Pampa, Paulo Sérgio Pinto, recebeu entre os seus debatedores o vice-governador do RS e secretário de Segurança, Ranolfo Vieira Júnior, a deputada estadual Any Ortiz, o procurador-geral de Justiça Fabiano Dallazen e o médico Luiz Pereira Lima.

Um dos destaques do programa foi o trabalho que o Governo do Estado está desenvolvendo de combate ao novo coronavírus. O vice-governador agradeceu aos elogios, enaltecendo o povo gaúcho: “a sociedade gaúcha está aceitando o que está sendo colocado para ela, são todos os fatores que contribuem com o que a gente está vivendo aqui no Rio Grande do Sul, pois estamos melhor do que outros estados”.

O procurador-geral de Justiça Fabiano Dallazen concordou com o Secretário de Segurança do Estado sobre a condição positiva do Rio Grande do Sul, apesar do momento complicado. “A coordenação do governo tem sido muito importante porque tomou pulso da situação, mas também teve habilidade de ouvir”, avaliou Dallazen.

Ainda dentro do combate ao coronavírus, outro assunto abordado do programa foi a utilização da hidroxicloroquina. O médico Luiz Pereira Lima se pronunciou sobre o tema. “A ciência é a cultura da dúvida, ela não pode ser única, se não, ela não seria ciência. Até a justiça agora esta metida na hidroxicloroquina, isso virou um vírus político”.

Um dos assuntos tratados na transmissão ao vivo desta quarta-feira (27) foi o modelo de volta às aulas no Rio Grande do Sul. Sobre a retomada das aulas presenciais serem apenas no mês de julho, o vice-governador foi enfático: “É difícil fazer funcionar a educação no meio da pandemia, dependemos de uma série de fatores. Se todos os alunos e mais os que trabalham na rede de educação retornassem agora, seriam 2 milhões e 700 mil pessoas, não se pode fazer que essa força retorne junto. Nós teremos que contratar centenas de pessoas para fazer as limpezas das unidade de ensino”.

Ranolfo Vieira Júnior também destacou os protocolos e a aquisição dos equipamentos de proteção. “Não é só apertar um botão, estamos fazendo um estudo técnico”. Segundo o vice-governador, a volta das atividades será de forma escalonada. Também deverá ser priorizado o ensino infantil e o último ano do ensino médio, tendo em vista que os últimos prestarão a prova do Enem.

A Deputada Estadual, Any Ortiz aproveitou para dar sua opinião sobre a volta às aulas. “O ensino infantil e os primeiros anos do ensino tem que voltar antes, não é só educação é uma questão social. Têm famílias que não têm condições sociais parta ter os filhos em casa, a mãe precisa sair de casa para trabalhar e colocar comida em casa. As creches e o ensino infantil são fundamentais para essas famílias”, ressaltou a parlamentar.

A deputada ainda sugeriu que a volta às aulas deveria estar alinhada com a retomada do comércio. “Porto Alegre foi um dos últimos municípios a abrir o comércio, uma coisa tem que andar alinhada a outra, por isso eu não imaginava que o governador deixaria a volta das aulas para julho, isso vai representar para as famílias mais desemprego, pois não terão o que fazer, a vulnerabilidade aumenta. Eu tinha uma expectativa que voltasse antes, uma coisa está alinhada a outra”, finalizou.

Se você quiser conferir o programa exibido nesta quarta (27), basta acessar o canal do programa no YouTube . O Pampa Debates vai ao ar às 17h50, de segunda a sexta-feira, e reúne autoridades e especialistas para repercutir os assuntos em destaque no cenário regional, nacional e internacional.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

A retomada total das aulas presenciais no Rio Grande do Sul pode demorar até setembro, prevê o governador gaúcho
O prefeito de Rio Pardo foi preso por suspeita de envolvimento em desvio de recursos da saúde
Deixe seu comentário
Pode te interessar