Últimas Notícias > Colunistas > Mala$ do João

Agroindústria de Teutônia é referência para São José do Sul

Comitiva de São José do Sul conheceu o Entreposto do Mel de Teutônia. (Fotos: divulgação)

O trabalho desenvolvido pela Secretaria de Agricultura de Teutônia na valorização das agroindústrias está gerando vários frutos. Na semana passada, uma comitiva do município de São José do Sul esteve em Teutônia conhecendo o Entreposto do Mel da Associação dos Apicultores, no Bairro Teutônia.
A comitiva de São José do Sul foi composta pelo secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Aloísio José Junges, o médico veterinário responsável pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM) Eduardo Alves da Costa e o produtor interessado em empreender com um entreposto de mel Juliano Mossmann.
O pequeno município do Vale do Caí foi o primeiro do Estado a aderir ao Sistema Unificado de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte(Susaf).


Diante o interesse de um produtor investir na apicultura, foi feito o contato com o SIM de Teutônia, que já possui quatro agroindústrias autorizadas a utilizar o selo do Susaf, incluindo o Entreposto de Mel (desde 19 de março de 2019). E, na semana passada, o grupo conferiu in loco o trabalho desenvolvido nesta área.
Eles conheceram toda a estrutura do Entreposto do Mel, localizado no Bairro Teutônia, bem como o trabalho desenvolvido tanto pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente quanto pelo Serviço de Inspeção Municipal em prol das agroindústrias. “Ficamos impressionados com as instalações do Entreposto de Mel de Teutônia, desde a entrada do produto até a rotulagem. Percebemos todo um cuidado com a higiene a logística. Não temos dúvidas que Teutônia servirá de referência para nós”, avaliou o secretário de Agricultura de São José do Sul, Aloísio José Junges.

A visita foi conduzida pelo responsável técnico do Entreposto, Adilson Cord, pela coordenadora do SIM de Teutônia, Candice Schmidt, pela secretária de Agricultura e Meio Ambiente, Nara Regina Nichterwitz, e pelo subsecretário da pasta, Luiz Rückert.

Nara Regina Nichterwitz não escondeu a sua felicidade em saber que Teutônia serve como inspiração a outras cidades no que se refere às agroindústrias. “Me senti honrada ao saber que as pessoas veem nosso município como um modelo a ser seguido. Isso é motivo de alegria para todos nós, pois entendemos que as agroindústrias são alternativas de renda e qualidade de vida no campo”, salientou.

Em julho do ano passado, outra agroindústria de Teutônia despertou a atenção de empreendedores de outros municípios. Na oportunidade, a agroindústria de queijos coloniais Casa Schneider, de Linha Ribeiro, serviu de referência para a Fazenda Gabardo, de Montenegro, que estava aperfeiçoando sua produção de queijos.