Home > Notícias > Brasil > A procuradoria-geral da República deve apresentar, até segunda-feira, denuncia contra o presidente Michel Temer ao Supremo pelo crime de corrupção passiva

Chance de novo partido

O pós-apocalipse provoca o sentimento antipolítico e a perda de confiança na gestão pública. Com as denúncias não será surpresa a tentativa de fazer surgir pelo menos um novo partido que disputaria governos estaduais e a Presidência da República. Bastará um líder contestador e uma corrida contra o tempo na busca de assinaturas de apoio para registro no Tribunal Superior Eleitoral. Adeptos para repudiar o quadro atual de insatisfação não faltam.

PERFIL DELES

Os delatores são donos de aeroportos, do Estádio do Maracanã, de grandes projetos industriais e de investimentos de infraestrutura. Conseguiram ficar ricos, estando em sintonia com os que não queriam o Brasil conquistando sua independência e dignidade.

MINUTO DE PROTESTO

Antes do apito inicial de cada jogo do Brasileirão, será preciso um minuto de silêncio para registrar o desprezo, a humilhação, o vexame, a indecência, a imoralidade, a falta de seriedade e o repúdio dos torcedores à corrupção.
Foram construídos estádios para o maior espetáculo da Terra. A jogada resultou em uma das maiores roubalheiras do País.

ARMADILHA PREPARADA

Em 2005, o Conselho de Ética pediu a cassação de 12 deputados federais envolvidos no escândalo do Mensalão, mas apenas quatro acabaram punidos. Mais recentemente, Eduardo Cunha só foi afastado após um arrastado processo. A quantidade de políticos citados agora deve trazer o natural corporativismo para um patamar mais institucional. Não será surpresa se projetos controversos como o de anistia ao caixa 2 e o de abuso de autoridade ganharem velocidade, enquanto o que prevê o fim do foro privilegiado seja escanteado.

NAS ALTURAS

A estimativa inicial para o próximo ano era do rombo de 79 bilhões de reais nas contas do governo federal. Agora, sobe para 123 bilhões de reais. Poderá aumentar, dependendo da situação da Economia.
O valor do déficit não inclui o que será pago em juros para rolar a dívida gigantesca do governo federal. Comparando, o Jurômetro ontem registrava 116 bilhões de reais. Foi o total repassado aos bancos desde 1º de janeiro deste ano. No final do ano, não ficará abaixo de 450 bilhões de reais. Só de juros. É muito mais do que a soma dos orçamentos dos Ministérios da Saúde e da Educação para 2018
É preciso com urgência renegociar a taxa de juros, que enriquece mais ainda os banqueiros. Ao mesmo tempo, esse valor deveria inibir a gastança, sustentada pelo aumento da dívida.

TEMA PARA PRÓXIMA CAMPANHA

O Poder Público não pode ser predador, extorquindo impostos da população, mantendo uma máquina administrativa pesada e de resultados muitas vezes deficientes. São assuntos vitais que não vemos durante as campanhas eleitorais. O ano de 2018 está próximo. Será necessário dar um basta, recusar e rejeitar campanhas demagógicas com promessas irealizáveis.

RÁPIDAS

* Nas anotações da Polícia, Marcelo Odebrecht passa a ser identificado como Dois Tempos. Um, negando propinas. Outro, contando tudo.

* Assessores do Palácio Piratini acompanham o que acontece em outros estados falidos: o salário de fevereiro só entrou ontem na conta de cada servidor público do Rio de Janeiro.

* Tesoureiros de campanhas anteriores costumavam sentir coceira na mão esquerda, um dos sinais de que estava vindo dinheiro. Agora, sofrerão dores de cabeça.

Comentários