Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Funcionários dos Correios entram em greve por tempo indeterminado no Rio Grande do Sul

Crítico literário Antonio Candido morre aos 98 anos, em São Paulo

Candido foi um dos mais importantes críticos literários brasileiros. (Foto: Reprodução)

O crítico literário e sociólogo Antonio Candido morreu em São Paulo, na manhã desta sexta-feira (12), aos 98 anos. A informação foi confirmada pela Faculdade de Filosofia e Letras e Ciências Humanas da USP (Universidade São Paulo), onde ele deu aulas no curso de Letras. O velório ocorre no Hospital Albert Einstein até as 17h.

Autor do livro “Formação da Literatura Brasileira”, Candido foi um dos mais importantes críticos literários brasileiros. Ele nasceu no Rio de Janeiro, em 24 de julho de 1918. Na infância, não estudou em escolas e foi educado em casa, tendo a mãe como professora. Ainda criança, ele se mudou para Poços de Caldas (MG) e depois para São João da Boa Vista, no interior de São Paulo.

Em 1937, iniciou os cursos de Direito e de Ciências Sociais na USP. Quatro anos depois, ele se formou em Ciências Sociais. Tornou-se livre-docente de literatura brasileira em 1945 e doutor em ciências em 1954. Em 1974, passou a ser professor titular de teoria literária e literatura comparada da USP, cargo em que se aposentou em 1978.

De suas obras de crítica literária, a mais importante é “Formação da Literatura Brasileira”, de 1959, sobre os momentos decisivos da formação do sistema literário brasileiro. Também foi importante graças a seus estudos sociológicos. Analisou o “caipira paulista e sua transformação” em “Os Parceiros do Rio Bonito” (1964).

Ao lado de outros intelectuais brasileiros, entre eles Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982), fez parte da criação do PT, em 1980. Em 1998, recebeu o Prêmio Camões, concedido pelos governos do Brasil e de Portugal, em Lisboa. Em 2005, ganhou o Prêmio Internacional Alfonso Reyes, no México. (AG)

Deixe seu comentário: