Últimas Notícias > Capa – Você viu > Sine da capital abre inscrições para cursos gratuitos

Em Israel, Bolsonaro irá condecorar a equipe que esteve em Brumadinho

O rompimento da barragem provocou 248 mortes e poluiu o Rio Paraopeba. (Foto: Divulgação)

Durante a sua viagem oficial a Israel, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro vai conceder a Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul à equipe de salvamento israelense que ajudou nas operações de resgate e de busca de corpos em Brumadinho, em Minas Gerais. A ordem é a mais alta condecoração brasileira atribuída a cidadãos estrangeiros.

Depois do rompimento da barragem em Brumadinho, em 25 de janeiro, o governo de Israel enviou uma equipe de militares para auxiliar nas buscas por sobreviventes. A missão israelense contou com 136 integrantes. Até o momento, as autoridades brasileiras contabilizam 216 mortos e 89 desaparecidos em decorrência da tragédia.

Em janeiro, durante visita do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ao Brasil, o presidente concedeu a ele a mesma honraria.  Bolsonaro chegará a Tel Aviv neste domingo (31). Na tarde do mesmo dia, segundo o Palácio do Planalto, ele participará de uma reunião privada com o premiê, em Jerusalém.

Depois do encontro com Netanyahu, os mandatários devem assinar acordos entre os dois países. Estão previstos entendimentos nas áreas de ciência e tecnologia, defesa, segurança pública, saúde e medicina, embora a lista final de acordos ainda não esteja fechada.

Na noite deste domingo, Bolsonaro será o convidado de um jantar oferecido pelo premiê israelense. A cerimônia de condecoração dos brigadistas que participaram das buscas em Brumadinho ocorrerá na segunda-feira (1º).

Na tarde de segunda, o presidente deve ir ao Muro das Lamentações, em Jerusalém, um dos locais mais sagrados do judaísmo. Na manhã do terceiro dia de Bolsonaro em Israel, o presidente se encontrará com executivos de startups e abrirá um encontro empresarial Brasil-Israel.

Ele também visitará as instalações de indústrias israelenses de alta tecnologia. À tarde, o presidente brasileiro terá uma agenda de deferências públicas ao Estado israelense e ao povo judeu. Ele visitará o memorial oficial para recordar as vítimas do Holocausto.

No mesmo dia, participará de uma cerimônia para o plantio de uma muda de oliveira no Bosque das Nações, em Jerusalém. O presidente retornará ao Brasil na quarta-feira (03). Antes de embarcar, ele tem um encontro com brasileiros que residem na cidade israelense de Raanana.

Exportações

No campo comercial, as conversas de Bolsonaro e sua comitiva devem se concentrar nas exportações brasileiras de carne bovina e soja. Os produtos integram uma carteira de vendas brasileiras para Israel, que, no ano passado, superaram a marca dos US$ 293 milhões, segundo dados do Ministério da Indústria e Comércio do Brasil.

Em contrapartida, o Brasil importou, em mercadorias do Oriente Médio, US$ 1,060 bilhão. O maior volume de importação se concentra em produtos como cloreto de potássio (28% do total), além de inseticidas e herbicidas, que respondem por 24% das exportações.

Deixe seu comentário: