Filme brasileiro sobre corrupção no País é premiado na Itália

O Clube dos Canibais, dirigido por Guto Parente e estrelado por Ana Luiza Rios e Tavinho Teixeira. (Foto: Divulgação)

O filme O Clube dos Canibais, dirigido pelo brasileiro Guto Parente, venceu o concurso internacional de longa-metragens do Festival de Cinema de Lucca, na Itália.

Segundos os jurados, o longa venceu por causa da “feroz ironia com a qual ele conta a violência do poder usando o gênero horror como chave para entender a realidade”.

A história do filme gira em torno de um casal muito rico, que organiza jantares no seu iate. Membros de um clube fechado, secreto e seleto, eles oferecem aos convidados de seus luxuosos eventos carne humana, representando uma metáfora de terror que confronta a situação política do Brasil.

Questionado se o cinema feito por ele tem o propósito de chocar, o cineasta cearense Guto Parente afirmou não crer que seu cinema choque. “Até porque, diante de uma realidade tão absurda e chocante como a que estamos vivendo nesses tempos, para que um filme choque é preciso que ele seja mais realista que o real. E a violência realista não me interessa. Prefiro trabalhar no campo da fantasia, do delírio”, disse o diretor.

Sobre sua premiada produção, Guto Parente indicou que O Clube dos Canibais é um filme de terror e comédia que se propõe a gerar reflexões. “Algo que é na verdade muito comum em inúmeras fitas de terror, nenhuma novidade. Basta olhar para os filmes do George Romero, por exemplo, ou, dando um exemplo mais recente, o Corra! do Jordan Peele. A novidade talvez esteja no fato de que em O clube dos Canibais eu retrato a elite cearense e jogos de poder muito nossos, dessa nossa estrutura social que é das mais desiguais e perversas. O cinismo da elite é um monstro assustador”, destacou.

O longa-metragem, segundo Parente, se propõe a investigar como o desejo e o prazer podem atravessar as pessoas e as suas relações pessoais. Interessa ao filme explorar o desejo como uma força capaz de provocar desequilíbrio nas estruturas hierárquicas estabelecidas, problematizando os papéis sociais, instaurando tensões e fissuras e causando uma instabilidade no estado das coisas.

O Clube dos Canibais

Apostando no humor para abordar questões de classe, na ironia e no sacarmo, o filme tem como personagens principais o casal Otávio e Gilda, integrantes da alta sociedade cearense e membros de um clube fechado, secreto e seleto, que tem por hábito comer a carne dos empregados.

Para contar essa história, a obra une códigos do terror comercial a questões sociais, trazendo o horror não só na violência gráfica, mas nos discursos dos protagonistas.

Produção da Tardo Filmes, o filme segue a história de Gilda (Ana Luiza Rios) e Otávio (Tavinho Teixeira), casal que tem por hábito comer os empregados.

Otávio possui uma empresa de segurança privada e é um membro notável do Clube dos Canibais, mas quando sua mulher, Gilda, acidentalmente descobre um segredo de Borges, um poderoso congressista e líder do clube, ela acaba colocando sua vida e a de seu marido em perigo.

 

 

 

 

Deixe seu comentário: