Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Pelo menos 23 pessoas morreram em protestos na Bolívia

Heloisa Périssé chega à metade da quimioterapia

Atriz trata de um câncer nas glândulas salivares. (Foto: Divulgação)

A atriz Heloisa Périssé, de 53 anos, chegou à metade de seu tratamento contra um câncer que atinge suas glândulas salivares. Nas redes sociais, ela comemorou o percurso traçado e recebeu o carinho de amigos. “Cheguei no meio do tratamento! Em nome de Jesus”, celebrou a atriz.

Rapidamente, famosos e amigos pessoais da artista fizeram questão de demonstrar seu carinho. “Não te falei que iria ser mole para você?! Vai dar tudo certo e você vai ficar zerada! Te amo, Lolo”, escreveu Paulo Gustavo.

“Saúde e força”, desejou a atriz Monica Iozzi. Dani Calabresa, Fabiula Nascimento, Marcos Veras, Bruno Gissoni e Eriberto Leão foram outros que comemoraram com ela a conquista.

A doença na atriz foi descoberta durante um check-up feito em julho. Périssé, então, se submeteu a uma cirurgia para retirada do tumor na glândula salivar do lado esquerdo. Logo após o procedimento, a atriz deu início à quimioterapia.

Para se dedicar integralmente à sua recuperação, Heloísa cancelou a turnê do espetáculo “Loloucas”, na qual atuaria ao lado de Maria Clara Gueiros. A peça, escrita por ela, aborda reflexões sobre a trajetória da amizade de duas amigas ao longo dos anos.

Ana Furtado

Ana Furtado foi outra famosa que enfrentou um câncer. A atriz e apresentadora do “É de Casa”, da TV Globo, falou sobre a sua experiência com o câncer de mama.  Ana revelou no local que leu o resultado do exame que apontou um “carcinoma ductal invasivo in situ”. Imediatamente, a apresentadora foi procurar informações na internet e contou detalhes do que aconteceu.

“Eu fiquei em choque, eu não sabia direito o que era, eu consultei o Google. O que é carcinoma? O que é isso que eu tenho que certamente não me pertence?”, afirmou, “Até o dia em que eu entendi o ‘por que eu’ e me fiz outra pergunta: ‘por que não eu?’. A partir daí, consegui entender vários propósitos novos para minha vida. Entendi que o câncer é uma ameaça, mas não é o fim, é o começo”, relatou.

“O câncer não é o vilão, mas pode ser e é um grande professor. O câncer não é seu inimigo, mas pode ser seu principal agente transformador. Atualmente, eu faço tratamento anti-hormonal”, contou.

“Só não perdi a guia da minha sobrancelha porque, antes de fazer a quimioterapia, eu fiz a minha micropigmentação”, contou, destacando ainda que usou crioterapia, para resfriar do couro cabeludo e reduzir a quantidade de quimioterápicos que atingem os bulbos capilares.

Dessa forma, evitou uma queda mais intensa do cabelo. Por fim, falou da sua situação com o trabalho, destacando que continuar ativa nos programas que comandava na TV Globo a ajudou a manter o foco na vida e não apenas na doença.