Últimas Notícias > Colunistas > Fatos históricos do dia 12 de novembro

Lewis Hamilton gostaria de ter guiado ao lado de seu “piloto favorito” Ayrton Senna

Hamilton está próximo de conquistar seu sexto título mundial. (Foto: Reprodução)

Lewis Hamilton disse que gostaria de ter sido companheiro de equipe de Ayrton Senna e guiar ao lado do tricampeão mundial. É sabido que Hamilton tem forte admiração pelo ídolo brasileiro.

Hamilton está próximo de conquistar seu sexto título mundial, que pode ser garantido no México no próximo fim de semana e sempre homenageou Senna – incluindo o “amarelo” de seu capacete original.

“Eu cresci nos anos 80, então meu piloto favorito era Ayrton. E ainda é hoje”.

“Ele seria o parceiro com quem eu adoraria trabalhar. Guiando na mesma equipe, você pode aprender muito e você pode realmente se comparar com essa pessoa porque tem o mesmo material.”

“Gostaria de correr no final dos anos 80 ou início dos anos 90. Gostei daqueles carros com pneus largos, chassi muito baixo, caixa de câmbio manual … E os motores V10 e V12 pareciam ótimos.”

“Reescrevendo a história”

O diretor da F1, Ross Brawn, diz que Lewis Hamilton tem sido a figura-chave nas seis temporadas de domínio da Mercedes, pois garantiu o sexto título consecutivo nos construtores no Japão no fim de semana passado. Somente Hamilton e Valtteri Bottas podem faturar o título dos pilotos, e a Mercedes agora superou as cinco duplas da Ferrari no início dos anos 2000.

Hamilton venceu quatro dos cinco títulos anteriores e é o favorito para conquistar o quinto nesta temporada, seu sexto no total. Nico Rosberg venceu outro em 2016.

Brawn fazia parte da equipe da Ferrari que dominou a F1 quase duas décadas atrás, com Michael Schumacher ao volante, mas ele acredita que Hamilton está reescrevendo a história do esporte.

Ele disse em sua coluna sobre o GP do Japão: “Grande parte desse sucesso se deve a Lewis Hamilton, um piloto incrível que está reescrevendo a história desse esporte de uma maneira totalmente única.

“É sempre difícil estabelecer o quanto cabe ao carro e quanto ao piloto, mas no final, para mim, é a equipe que conta mais. A Fórmula 1 é um esporte de equipe e mesmo se o piloto for a estrela do show ele não pode vencer sem um time atrás dele.

“A Mercedes atingiu um nível mais alto do que seus rivais e até agora tem sido quase imbatível.

“No entanto, sem querer dar más notícias, mais cedo ou mais tarde o vento muda. É a lei da selva em todos os esportes. Mas não importa o que aconteça, as realizações dos homens e mulheres de Brackley, Brixworth e Stuttgart sempre estarão nos livros de história”.