Últimas Notícias > Colunistas > Governo federal vai colocar em dia pagamentos de obras no RS

Ministério da Justiça prorroga a presença da Força Nacional nas fronteiras brasileiras por mais 180 dias

Força Nacional vai permanecer apoiando ações da Polícia Federal nas regiões de fronteiras. (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O Ministério da Justiça prorrogou por mais 180 dias, a contar de segunda-feira (20), a presença da Força Nacional de Segurança Pública nas ações de prevenção e repressão a crimes nas áreas de fronteiras. De acordo com a portaria publicada na segunda no Diário Oficial da União, o trabalho dos militares será em apoio às atividades da PF (Polícia Federal).

O contingente a ser disponibilizado obedecerá ao planejamento definido pelo ministério e caberá à PF dá o apoio logístico e dispor da infraestrutura necessário, diz ainda a portaria.

O pedido de prorrogação da Força Nacional de Segurança Pública nas ações de segurança da fonteira foi feito pela diretoria-geral da PF.

Força Nacional em Roraima

De acordo com a portaria publicada na segunda-feira, a tropa da Força Nacional em Roraima fica no Estado até novembro deste ano e atuará em apoio à Polícia Federal “nas atividades de prevenção e repressão aos delitos nas fronteiras nacionais”.

O número de agentes disponibilizados não foi informado, mas, conforme a portaria “obedecerá ao planejamento definido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública”.

“A operação terá o apoio logístico do órgão demandante, que deverá dispor da infraestrutura necessária à Força Nacional de Segurança Pública”, diz parte do texto publicado.

A prorrogação foi um pedido feito pelo diretor-geral da Polícia Federal substituto, em ofício enviado ao Ministério. A primeira portaria foi publicada em 14 de novembro de 2018 e teve validade até 19 de maio de 2019.

Caso haja necessidade, a permanência do grupo poderá ser prorrogada mais uma vez.

“Caso a renovação não seja solicitada pelo órgão apoiado, tempestivamente, o efetivo será retirado imediatamente após o vencimento desta Portaria”, diz outro trecho da publicação.

Chacina em Belém

Uma chacina deixou 11 mortos em um bar localizado no bairro do Guamá, em Belém, capital do Pará . Além das vítimas fatais, uma pessoa ficou ferida. De acordo com a Polícia Militar, sete homens armados chegaram ao local em três motos e um carro e dispararam contra as vítimas na tarde deste domingo. A polícia investiga a motivação do crime e busca suspeitos da ação.

O Guamá, considerado como uma das regiões mais violentas de Belém, foi um dos sete bairros da capital paraense que recebeu reforço de tropas da Força Nacional em março. A ação, realizada com apoio logístico do governo do Estado, tem o propósito de auxiliar as forças de segurança estaduais no patrulhamento ostensivo e demais operações de proteção.

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil assumiu as investigações. O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB) , convocou uma reunião de emergência com autoridades de segurança pública do Estado no Palácio do Governo. Em vídeo divulgado nas suas redes sociais à noite, Barbalho disse trabalhar para dar “absoluta agilidade às investigações”.

“Não vamos recuar. Se este sinistro ocorrido no bairro do Guamá é para intimidar ações de segurança pública do governo, vamos continuar firmes e trabalhando para garantir o direito da população de ter paz e segurança de qualidade”, disse o governador.

Das 11 vítimas fatais, há cinco mulheres e seis homens. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra as vítimas estiradas no chão e nos móveis do estabelecimento, pouco após o tiroteio, em meio a muito sangue. Uma mulher aparece deitada em cima do balcão. Os bandidos deixaram o local após a ação.

Deixe seu comentário: